Pacientes transferidos da Osid devem retornar ao hospital na próxima semana

Os pacientes que haviam sido transferidos do Hospital Santo Antônio, das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), após o surto de contaminação pelo novo coronavírus, devem voltar as instalações da unidade já na próxima semana. Está previsto para ser concluído amanhã (26), o processo de desinfecção do hospital. 

A operação está sendo realizada por profissionais do setor de Higienização da OSID e por militares do Comando Conjunto Bahia, formado pela Marinha do Brasil, Exército Brasileiro e Força Aérea Brasileira. A desinfecção abrange enfermarias, corredores, paredes, sanitários e equipamentos como camas, cadeiras e armários, a fim de higienizar de forma ampla o hospital. 

Operação está prevista para ser concluída amanhã (26)
(Foto: Divulgação)

Com a conclusão da operação, os 200 pacientes que haviam sido transferidos desde o domingo passado (19) para o centro de acolhimento montado no Rio Vermelho poderão retornar em breve ao complexo hospitalar. Do total,  26 deles possuem diagnóstico positivo para Covid-19. Os demais têm perfil etário acima de 60 anos. 

Surto de contaminação

Nas últimas semanas,  64 funcionários das Obras foram diagnosticados com a covid-19 e outros 30 pacientes também tinham a doença. Dois óbitos foram confirmadas. O caso mais recente foi na quarta-feira (22), com a morte o técnico de enfermagem Antônio César Ferreira Pitta de Jesus, 48 anos.

Cesinha, como era conhecido, trabalhava no Hospital Santo Antônio, das Obras Sociais Irmã Dulce (Osid), como funcionário da Unidade de Coleta e Transfusão de Sangue (UCT) desde 2012. Ele estava internado no Hospital Couto Maia, em Salvador, unidade de referência para tratamento da covid-19.

O processo de desinfecção integra o plano de medidas que o complexo hospitalar passou a adotar após o surto
(Foto: Divulgação)

Em nota, o hospital destacou algumas iniciativas de enfrentamento ao novo coronavírus além da desinfecção, entre elas já a redução de 50% do número de leitos em cada enfermaria, as adequações dos sistemas de renovação de ar, realização de para diagnóstico da covid-19 em todos os funcionários e pacientes, mesmo os assintomáticos, assim como a intensificação das auditorias de utilização correta dos EPIs por todos os profissionais de saúde.

Fonte: Correio