Sax Solidário leva música a bairros em troca de doações para instituições

Uma boa música pode mexer com nossos sentimentos – nos deixar mais felizes, nostálgicos, calmos, animados… Mas seu poder vai além: pode, até, se transformar em doações para quem precisa. Pelo menos, é isso que está acontecendo em Salvador, graças ao projeto Sax Solidário.

A iniciativa é do músico Luciano Silva, de 55 anos, que está indo a bairros da cidade fazer um show, de cerca de 45 minutos, com seu saxofone. Durante a apresentação, moradores da redondeza podem deixar alimentos não perecíveis e materiais de limpeza, que serão encaminhados para instituições de caridade.

“Fizemos duas edições, na Pituba (dia 18) e Cidade Jardim (realizada no último sábado, 25) e arrecadamos, em cada uma, doações que encheram duas caçambas de caminhonetes”, disse Luciano, que já tocou com estrelas da música baiana como Margareth Menezes e Carlinhos Brown.

Luciano e os materiais arrecadados na edição do Cidade Jardim, no último sábado (25)
(Foto: Tiago Caldas/CORREIO)

A primeira instituição contemplada com o material doado, na edição da Pituba, foi a Caravana Solidária. “Achei muito sensível e humana essa iniciativa, ainda mais em um momento tão delicado como o que vivemos. Alguém poder se doar… É gratificante. Nós trabalhamos com pessoas que vivem em situação de rua e, com os kits arrecadados, vamos poder ajudar”, comemorou Lia Mariano, uma das responsáveis pela Caravana Solidária.

A edição da Cidade Jardim, por sua vez, terá as doações encaminhadas para a Casa da Criança, em Canabrava. “O projeto não é fechado com uma só instituição, gosto que deixe em aberto. É uma forma do próprio projeto social se estimular e achar novas formas de se multiplicar”, falou o diretor musical.

Luciano, aliás, já tinha feito projetos sociais antes, em Salvador e Lençóis. Mas a ideia do Sax Solidário surgiu quase por acaso: no domingo de Páscoa, no dia 12, ele fez uma visita ao prédio de sua mãe, parou o carro e tocou o saxofone para ela. “Todo mundo apareceu nas janelas, adorou. Então pensei em montar o showzinho e ajudar”.

Segundo Luciano, o repertório é bem diverso, com sucessos que vão desde The Beatles, passando por Pink Floyd, a Tim Maia. Mas mais que agradar a todos os estilos musicais, há uma mensagem por trás das escolhas. “Todas são canções que tocam o coração, que têm relação com esse momento de isolamento social que a gente vive, por causa da pandemia”, contou.

Repertório do show tem músicas que vão desde The Beatles a Tim Maia
(Foto: Tiago Caldas/CORREIO)

A empresária Patrícia Seabra foi uma das doadoras da edição da Pituba e adorou a ideia. “É super bacana. Além de podermos ajudar, ainda recebemos uma música maravilhosa. Teve Imagine (John Lennon), Carinhoso (Pixinguinha), Smile (Charlie Chaplin)… Dá uma paz, um acalanto, neste momento tão triste. E tudo com pontualidade, organização”, comentou.

Luciano, aliás, entra em contato com os síndicos dos prédios das redondezas e com as associações de moradores previamente, para que todo mundo seja informado do que acontecerá. Assim, muita gente já deixa os alimentos e materiais de limpeza nas portarias dos prédios, o que otimiza a arrecadação. “Pode deixar antes ou no intervalo de dois dias, que a gente passa para buscar”, avisou o músico.

Com o sucesso do Sax Solidário, ele tem planos de realizar o projeto em outros bairros de Salvador. “Já tivemos convite da Vitória, Rio Vermelho, Le Parc, estamos conversando com o Loteamento Aquarius… E não quero abandonar essa iniciativa quando a pandemia acabar, quero continuar a realizá-la”.

O CORREIO compartilha boas ideias e atitudes de pessoas e empresas dispostas a fazer a diferença para, juntos, superar a tormenta da pandemia de coronavírus. Tem uma boa história? Compartilhe com a gente.

Fonte: Correio