ACM Neto pede que governo federal se aproxime das prefeituras municipais

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), contou, durante coletiva online que aconteceu na tarde desta segunda (27), como foi seu encontro do com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que aconteceu na última semana. Questionado sobre a relação dos governos municipais com o governo federal, Neto disse que cobrou uma aproximação a Bolsonaro e acredita que o melhor caminho é uma união dos municípios para tomar ações direcionadas na pandemia.

“Coloquei para o presidente que o governo federal chamasse um grupo de prefeitos e governadores das principais cidades e estados do país para que, conjuntamente, discutirmos um protocolo de retomada das atividades após a pandemia”, afirmou.

O prefeito disse que, independente da reunião destes governantes, Salvador já tem um protocolo de ações sendo elaborado, para que, segundo Neto, “não se perca tudo de uma vez após um esforço muito grande”.

Sobre os investimentos no setor deSaúde para controlar o pico da pandemia que deve acontecer em maio, Neto lembrou que, neste momento, “não é hora de ficar fazendo conta, muito menos o governo federal”.
  
Sobre a protocolização de um pedido de impeachment de Bolsonaro, o último feito pelo deputado federal Kim Kataguiri (DEM), ACM disse que, neste momento, acredita que processos como esse não ajudam o Brasil. “Não vejo condições políticas para esse debate prosperar. Esse debate atrapalha o país e evidencia disputas políticas, enquanto o foco deveria ser o combate ao coronavírus”, argumentou. Por fim, o prefeito completou: “Da minha parte, vou contribuir para construir pontes e não colocar lenha na fogueira”, finalizou. 

Desempenho de Teich
Recém nomeado para o cargo de ministro da Saúde, o médico oncologista Nelson Teich ainda não demonstrou um forte contato com os representantes municipais e estaduais. ACM Neto acredita que o ministro esteja passando por um processo de adaptação e aguarda que, brevemente, a pasta articule ações com os demais governantes brasileiros: “Não houve nenhuma reunião com prefeitos das capitais e já passou da hora de acontecer. É preciso ter uma articulação do Ministério da Saúde com as prefeituras”.

Quanto ao desempenho de Teich, ACM Neto disse que é cedo para fazer uma avaliação. “O ex ministro tinha um estilo diferente, mais comunicativo, atualizando o país com informações através das coletivas, mas não me cabe julgar. É preciso dar tempo para ter uma noção de tudo”, completou.

Saída de Moro
Já sobre o desligamento de Sergio Moro do Ministério da Justiça, o prefeito foi breve e elogiou o trabalho do juiz na condução da Operação Lava Jato e pelo legado que deixou: “Eu admiro Moro na sua vida pública, no combate à corrupção. No Brasil, o cidadão dá hoje um valor para essas questões éticas ligadas a política, e muito se deve às conquistas da Lava Jato”, comentou.

*Com orientação da subeditora Clarissa Pacheco

Fonte: Correio