Cidade Baixa e Pituba registram os maiores volumes de chuva nas últimas 24h

A segunda-feira (27) começou com muita chuva na capital baiana. De acordo com informações da Defesa Civil de Salvador (Codesal) nas últimas 24 horas as regiões que mais choveram foi Cidade Baixa/Monte Serrat (60.8mm), Pituba/Parque da Cidade(60mm) e Federação (59mm). Ainda de acordo com o relatório divulgado pelo órgão municipal, entre 5h e 6h desta segunda-feira choveu 28.88mm no Bom Juá, 25.4mm em São Caetano e 24.6mm no Cabula.

Foto: Arisson Marinho/CORREIO

Até às 8h43 a Defesa Civil já tinha registrado 117 ocorrências. As campeãs de notificações foram as prefeituras bairros da Barra/Pituba (24), Cabula/Tancredo Neves (21) e Centro/Brotas (19). Os delizamentos de terra respondem por 40 dos 84 registros. A Transalvador também registra vários pontos de alagamento pela cidade. Entre as vias mais afetadas estão a Rua Régis Pacheco, no bairro do Uruguai, a Avenida Bonocô, nos dois sentidos, a Avenida Ogunjá, no sentido Vasco da Gama e a a Rua Nilo Peçanha, no bairro da Calçada. 

Foto: Arisson Marinho/CORREIO

Uma árvore caiu na Avenida Juracy Magalhães, ocupando duas faixas do trânsito, no sentido Centro. Na mesma avenida, a estrutura de um poste foi afetada, fazendo com que ele ficasse inclinado na via, nas imediações do prédio da Embasa, também no sentido Centro. Uma equipe da Transalvador está no local para organizar o tráfego.

Já na Rua Oswaldo Cruz, no bairro do Rio Vermelho, parte de uma encosta cedeu. Lonas já foram colocadas no local para fazer a contenção. Outra ocorrência foi registrada na Rua Plínio Moscoso, no Jardim Apipema, onde uma ávore caiu sobre um carro que estava estacionado na frente de uma casa. Ninguém ficou ferido.

Foto: Arisson Marinho/CORREIO

A previsão da Defesa Civil é de céu nublado com chuvas moderadas, por vezes fortes, a qualquer hora do dia. Há risco para alagamentos e deslizamento de terra. Já para a terça-feira, a previsão é de  céu nublado com chuvas fracas a moderadas a qualquer hora do dia. Havendo também risco para alagamentos e deslizamento de terra. 

Fonte: Correio