Coronavírus: Grupo GR inicia projeto de telemedicina para acolhimento dos funcionários

No segmento de segurança patrimonial e serviços, o Grupo GR iniciou um atendimento de telemedicina para dar apoio e acolhimento para os seus mais de 12 mil funcionários em 16 estados do Brasil, inclusive na Bahia. A empresa também distribuiu 20 mil máscaras e 10 mil óculos de proteção aos seus colaboradores.

A companhia possui um comitê de crise e decidiu distribuir as máscaras antes mesmo da obrigatoriedade do uso da proteção nos Estados. “Mesmo com a dificuldade em logística que estamos enfrentando, não medimos esforços para que todos nossos colaboradores estejam protegidos”, comenta Maurice Braunstein, CEO do GRUPO GR.

De acordo com o CEO, a empresa compreende que a doença abalou psicologicamente o mundo. Por isso, acredita que é imprescindível oferecer apoio, orientação e acolhimento aos funcionários neste momento. “Importante que se sintam bem assistidos e tenham tranquilidade para se recuperarem”, acrescenta o Braunstein.

No projeto de “Telemedicina GR”, são avaliados todos os atestados que chegam ao Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho. Os que sinalizam problemas respiratórios ou sintomas da Covid-19 são separados. Depois deste processo, é realizado um contato telefônico para prestar um primeiro acolhimento e passar orientações de isolamento à pessoa e à família.

Após a conversa, um relatório é encaminhado à equipe de medicina do trabalho para que o atendimento de telemedicina possa ser iniciado por meio de agendamento. O processo é acompanhado em tempo integral e monitorado pelos médicos e equipe do GR para garantir que o colaborador tenha 100% de apoio e orientação.

O Grupo GR ainda criou o Projeto Vida, um portal para reunir pessoas, empresas e iniciativas para formar uma grande rede de apoio mútuo. Desde o começo da pandemia, a empresa realiza campanhas de comunicação interna para seus profissionais com dicas de prevenção, distribuição de álcool gel, mudanças de horários de turnos, adiantamento de férias, home-office para as equipes de administração e afastamento remunerado de pessoas do grupo de risco. 

Fonte: Correio