Shoppings estão oferecendo desconto de 100% no valor do aluguel mínimo

Os shoppings Salvador e Salvador Norte que fazem parte do Grupo JCPM estão oferecendo um desconto de 100% no valor do aluguel mínimo para o mês de abril. Neste momento, o grupo também está concedendo descontos (35%) e postergando o pagamento do aluguel mínimo de março/2020 para fevereiro de 2021. 

No dia 12 de abril, a Justiça da Bahia já havia decido pela suspensão da cobrança de aluguel e taxa de propaganda só do Salvador Norte Shopping. Ainda que ele esteja envolvido em um debate na esfera judicial, os lojistas que tiverem interesse podem aderir a proposta referente ao aluguel, válida para adimplentes nas demais obrigações, como o Fundo de Promoção e Propaganda (FPP) mínimo e condomínio. 

A mesma determinação da suspensão do aluguel era válida para o Shopping da Bahia, de acordo com um pedido do Sindicato dos Lojistas (Sindilojas). Nesta sexta-feira (24), no entanto, a desembargadora Lisbete Maria Teixeira reformulou a decisão, após um recurso do shopping e determinou que e as lojas deste centro de compras terão desconto de 70% no aluguel durante pandemia. 

Procurada pelo CORREIO, o Shopping da Bahia não comentou o desconto. Já o presidente do Sindicato dos Lojistas (Sindlojas), Paulo Mota, disse que vai recorrer da decisão para que o abatimento seja de 100%. “Não tem cabimento gerar receita com a loja fechada. Nós vamos continuar insistindo até que os lojistas consigam um desconto integral”. 

Os shoppings da capital permanecem fechados por conta de um decreto municipal desde o dia 21 de março, a fim de conter o avanço da contaminação pelo novo coronavírus. Até o momento, a determinação é válida até o dia 3 de maio.

Outros shoppings
A reportagem buscou informações junto a outros shoppings com relação a oferta de abatimentos para os lojistas. O Shopping Barra, por exemplo, informou que o centro de compras ofereceu um desconto de 50% sobre o aluguel de março, postergou o vencimento para fevereiro de 2021 do restante e isentou o pagamento o lojista que se mantiver em dia até janeiro do ano que vem. Os alugueis devidos, porém, foram judicializados por parte dos lojistas e aguardam a decisão do judiciário sobre a questão. 

O Shopping Itaigara não precisou qual o valor do abatimento, mas destacou que “está empenhado esforços para reduzir as despesas operacionais e, assim, desonerar a cobrança das taxas condominiais”, escreveu em nota. O Lapa afirmou que está avaliando medidas internas. Os Shoppings Bela Vista e Paralela não se posicionaram até o fechamento da edição. 

Para o presidente da Associação Brasileira de Shopping Centers Bahia (Abrasce), Edson Piaggio, a orientação da entidade é que cada shopping busque um entendimento junto com o seu lojista. “A judicialização é o pior caminho nesse momento. Não estamos querendo que isso aconteça. As condições de negociação são muito boas. É interesse de todo mundo chegar a um consenso. Os shoppings querem dialogar, negociar. Cada um deles precisa conversar com o seu lojista”.

A entidade está conversando com prefeituras do estado sobre os protocolos que foram elaborados para que os shoppings possam voltar a ser reabertos. “Não vamos reabrir fazendo promoções, nem com funcionamento de cinemas e parques infantis. Também acrescentamos ao protocolo, o acesso ao shopping só de máscara, disponibilidade de álcool em gel nas lojas, manutenção do distanciamento e medição de temperatura dos funcionários”, completa. 

O presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio-BA), Carlos Andrade também defende um acordo comum. “Esse é um momento em que todos estão perdendo. O bom é a gente conversar, o pequeno, o médio e grande para que nossas empresas percam menos”.

Fonte: Correio