Cerveja grátis? Os cinco principais golpes que os baianos estão caindo na quarentena

Quem não quer receber em casa sem pagar nada quatro barris de Heineken? A proposta tentadora é só um dos cinco principais golpes que estão circulando na quarentena e roubando dados de baianos. De acordo com um levantamento feito pelo Dfndr lab, laboratório especializado em segurança digital da PSafe, a pedido do CORREIO, o golpe da cerveja grátis registrou na Bahia 37.079 usuários atingidos, mas o campeão mesmo foi o golpe prometendo auxílio do Governo: foram 448.963 pessoas enganadas.

Ainda na lista dos cinco principais links maliciosos que estão sendo compartilhados, principalmente via WhatsApp, entraram o que promete assinatura da Netflix de graça (65.084 detecções), o kit de álcool em gel (43.518) e a internet grátis (14.574). Ou seja, o principal gatilho, além do isolamento social, está no apelo do ‘0800’ como analisa o diretor do Dfndr lab, Emílio Simoni.

“Os cibercriminosos têm em comum a prática de usar temas em evidência e sensíveis em períodos estratégicos, porque isso potencializa o número de acesso e compartilhamentos dos golpes. Os principais gatilhos são falsas promoções e supostos benefícios que simulam ações do governo ou de grandes empresas”, afirma.

Para desenvolver estes golpes, é muito comum que o atacante estude como as ofertas verdadeiras são realizadas pelas grandes empresas para, então, simulá-las, deixando a fraude ainda mais convincente e com potencial viral entre as pessoas.

“Assim como todo crime, os cibercrimes trazem prejuízos irreversíveis. Os principais estão no âmbito financeiro, mas também é possível que os cibercriminosos registrem o celular em serviços pagos de SMS, roubem credenciais de acesso a redes sociais e e-mail, vazem dados pessoais, conversas privadas e até mesmo fotos íntimas”, alerta o especialista.

Não era cerveja, era cilada…

O golpe da cerveja grátis não foi o único que a universitária Maira Mesquita caiu por conta dos links que circulam no WhatsApp. Ela também recebeu um outro recentemente, que prometia um auxílio do governo. A estudante chegou a desconfiar, mas acabou clicando e foi salva pelo antivírus do celular:

Maira até desconfiou da oferta, mas na verdade não resisitiu em clicar e foi ‘salva’ pelo antivírus do celular
(Foto: Acervo Pessoal)

“Fiquei feliz da vida quando eu vi, mas quando o antivírus registrou que era falso fiquei frustrada. O que realmente atrai por ser grátis. Quem não gosta de algo que vamos ganhar? Infelizmente somos enganados”.

Em outra situação, envolvendo uma oferta de cartão de credito do Nubank para quem estava com o nome negativado, Maira perdeu R$ 50. “Passei todos os meus dados: CPF, comprovante de residência, RG e recebi um número de uma conta para depositar o valor. Quando enviei o comprovante, não tive mais resposta, claro. E as mensagens que havíamos trocado foram todas apagadas”.

Se a oferta é boa demais, não tem jeito, antes de clicar ou sair compartilhando, é preciso desconfiar e checar a veracidade. Quem aconselha é o diretor de Inteligência cibernética do Grupo New Space, Thiago Bordini. “A disseminação pelo WhatsApp é mais fácil e rápida. A primeira dica que sempre dou é: desconfiar sempre. Redobre a atenção e veja se o endereço está correto, se há o logo de um cadeado ao lado do link, se não há erros de português”, pontua.

Informe também a todos os seus contatos logo de imediato para impedir a disseminação do link. “Avise imediatamente a todos sobre o ocorrido, orientando para que não façam nenhum tipo de depósito ou forneçam informações. Vale ainda registrar uma ocorrência policial”, acrescenta Bordini.

Bancos chamam atenção para truques de golpistas

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) divulgou um comunicado reforçando a importância de redobrar os cuidados de segurança durante a pandemia, principalmente, por conta dos aplicativos falsos que estão sendo viralizados usando como gatilho o auxílio emergencial criado pelo governo. Os golpistas se aproveitam da necessidade de as pessoas se cadastrarem para receber o benefício, roubam informações sigilosas, principalmente dados financeiros.

“A mistura de medo da doença e a confusão trazida pelo excesso de fontes de informação criam o ambiente perfeito para a ação dos golpistas. Eles usam a chamada engenharia social, que são armadilhas criadas para obter dados, senhas e informações pessoais dos clientes, ou ainda levá-los a fazer pagamentos em benefício dos criminosos”, alerta o diretor-adjunto de Operações da Febraban, Walter de Faria.

O site oficial para se cadastrar para receber o auxílio emergencial é auxilio.caixa.gov.br. A entidade recomenda ainda que é importante desconsiderar qualquer informação que não esteja nos canais oficiais dos governos e empresas. “Em caso de dúvida sobre a veracidade de uma mensagem ou conteúdo, interrompa a operação e entre em contato com o SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) do prestador do serviço ou vendedor do produto para confirmar se aquilo é real”, completa. 

Como evitar cair nos golpes? Confira dicas! 

  • Atenção  Desconfie sempre de todos os links, arquivos, solicitações e tudo que você receber nas redes sociais. Preste atenção ao endereço do site, veja se está correto, se há o logo de um cadeado ao lado do link, o que atesta a segurança, se não há erros de português .
  • Reforço  Habilite a verificação em duas etapas no WhatsApp e em outras redes sociais também.
  • Não existe  Nenhum banco ou instituição financeira liga nem encaminha links por SMS, WhatsApp ou e-mail pedindo atualização dos dados, sincronização de token ou desbloqueio de cartão.
  • Verifique  Examine se a notícia ou promoção que receber é verdadeira acessando o site oficial da empresa ou organização. É importante fazer essa checagem, inclusive, com as notícias que são compartilhadas relacionadas a pandemia de covid-19.
  • Caminho  Sempre que for baixar qualquer aplicativo, faça só da loja oficial do sistema operacional do seu dispositivo.
  • Links  Fique atento a links encurtados e desconhecidos por sms ou e-mail. Não clique nem informe seus dados.
  • Segurança  Mantenha antivírus e sistema operacional de seu computador e celular sempre atualizados.
  • Senhas  Configure senhas fortes tanto das suas contas como, também, em seu wifi residencial (evite senhas óbvias como data de nascimento e idade). Em caso de suspeita de qualquer comprometimento da segurança, altere suas senhas.

Fonte: Correio