'Dr. Raiz' é preso por vender 'elixir' de R$ 100 para tratamento de coronavírus

Um homem conhecido por Dr. Raiz acabou preso nesta sexta-feira (1º) acusado de vender um “remédio milagroso” para contaminados por coronavírus. Cada recipiente de 100 ml de um produto chamado de “Elixir Indígena Medalha de Prata” estava sendo comercializado por R$ 100. O caso aconteceu na cidade de Santa Rita, na Paraíba, e os mandados de busca e apreensão dos produtos cumpridos pelo Ministério Público e pela Polícia Civil.

De acordo com as investigações, o acusado, identificado Luiz Carlos de Sousa Santos, conhecido como Lula de Marcos Moura ou “Dr. Raiz”,  fazia propaganda das substâncias milagrosas em suas redes sociais. Ele mantinha um ponto de venda e produção dos falsos medicamentos no bairro Marcos Moura, em Santa Rita. 

No endereço alvo das buscas, foram encontrados produtos (prontos para uso e em forma de matéria-prima) indicados para o tratamento de várias doenças, desde uma tosse, e até problemas sérios e de cura ainda desconhecida da ciência, como câncer, Aids e Covid-19.

O acusado foi preso em flagrante. De acordo com o promotor de Justiça, Romualdo Dias, o crime descrito no artigo 273, do Código Penal Brasileiro (falsificar, corromper, adulterar ou alterar produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais) é hediondo. Por causa da suspensão das audiências de custódia devido à pandemia, as autoridades plantonistas devem decidir pela prisão preventiva ou mesmo pela liberdade provisória dele. 

O ‘Doutor Raiz’ deve responder, dentre outros crimes, por charlatanismo e curandeirismo e práticas criminosas que atentam contra a saúde pública, principalmente em um momento de emergência em saúde decorrente da pandemia do novo coronavírus. 

Fonte: Agencia Brasil