Bolsonaro divulga vídeo em que chefe do CFM ataca governadores do Nordeste

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) usou as redes sociais neste domingo (3) para divulgar um vídeo do presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Mauro Ribeiro, falando contra um pedido feito pelos governadores do Nordeste para ajudar no combate ao coronavírus. O Consórcio Nordeste pediu que o governo autorize temporariamente 15 mil médicos formados no exterior a trabalhar aqui. Ribeiro diz no vídeo que se trata de uma “traição” dos governadores do Nordeste, que teriam usado argumentos “mentirosos” no pedido.

“A razão da nossa da nossa fala hoje é a atitude dos governadores do Nordeste solicitando ao Ministério da Educação e Ministério da Sáude para que supostos médicos formados no exterior, no caso brasileiros, sejam, passem o Revalida e tenham situação legalizada ao arrepio da lei para poder atuar aqui no Brasil nesse período da covid-19”, afirma Ribeiro ao iniciar o vídeo. “Vejo essa situação como uma traição desse governadores, com argumentos falaciosos, mentirosos, se aproveitando do momento de maior ameaça da história da nossa sociedade em relação à doença terrível, altamente transmissível e de uma letalidade muito rápida, para aprovarem algo totalmente desprezível”, critica.

Ribeiro diz ainda que ficou “profundamente decepcionado” com a atitude dos governadores e afirmou que não existe “nenhuma necessidade de pessoas que nós nem sabemos se são médicos” de atender a população brasileira.

“Hoje existe médicos brasileiros com CRM que se voluntarizaram para atender durante o período da Covid-19. Existem 54 mil acadêmicos em medicina que também de forma voluntária se colocaram para atender no período da Covid-19. Existem 3 mil residentes que também se voluntarizaram. Então, não existe a menor razão, a menor fundamentação na fala desses governadores”, afirma.

Na mensagem que acompanhu o vídeo, o presidente escreveu que apoia Mauro Ribeiro e é “contra a proposta dos governadores do Nordeste”.

O Consórcio Nordeste enviou documento ao governo federal pedindo mais rapidez na validação de diplomas de medicina de brasileiros formados no exterior.

“Deliberamos um documento apoiando uma solicitação do governo federal para que autorize, de forma rápida, os médicos brasileiros formados no exterior que ainda não tiveram o diploma validado no Brasil. O comite e os nove governadores entendem que o governo federal precisa colocar esses mais de 15 mil médicos brasileiros para reforçar o time de atendimento à população. Precisamos muito dessa mão de obra. São profissionais formados e nesta excassez que temos, e vamos ter ainda mais, é um reforço importantíssimo”, disse na ocasião o governador da Bahia, Rui Costa.

Fonte: Correio