Brasil pode ter 1 milhão de mortes por Covid-19, caso 70% do país seja infectado

O biólogo Atila Iamarino fez uma projeção alarmante para o Brasil em relação ao número de mortes provocadas pelo novo coronavírus (Covid-19): 1.029.000 óbitos. O post do biólogo, feito numa rede social, teve como base estudos realizados fora do país, como em Nova York, nos Estados Unidos, e a ideia encampada por algumas pessoas, entre elas o presidente Jair Bolsonaro, de que 70% da população brasileira vai se contaminar com o novo vírus.

De acordo com Iamarino, que tem ganhado projeção por aparições em programas de televisão e por postagens na internet com visões mais drásticas sobre o rumo que a pandemia vai tomar, mais de 1 milhão de pessoas no país podem perder suas vidas com base nessas situações.

“A taxa de letalidade por infecção é de 0,7%. Isso diz pra gente que esses 0,7% de 149 milhões de pessoas (no Brasil) vão morrer de Covid, o que, por baixo, dá esse número de 1.029.000 pessoas, muito próximo do que a gente falou lá em março que poderia acontecer”, explicou com base na letalidade observada em ambiente controlado de Nova York, e também levado-se em cosideração que somos cerca de 213 milhões de brasileiros.

Atualmente, o Brasil tem quase 102.000 casos confirmados, com 7.051 óbitos, o que dá uma taxa de mortalidade de quase 7%. Porém, como há pouca testagem e consequentemente subnotificação, esse índice é cerca de dez vezes maior do que o número observado pelo biólogo.

No entanto, Iamarino faz outros alertas, que podem elevar esse número.
“Sem ter colapso do sistema de saúde, isso (1 milhão) é o que a gente espera que se morra de pessoas se 70% do Brasil pegar. Se o sistema de saúde colapsa e as pessoas deixam de ter atendimento, vou usar as palavras do Mandetta (ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta) aqui, colapso do sistema de saúde quer dizer que não tem hospital, não tem leito, não tem UTI pra ninguém. Você pode ter mandato de juiz, pode ter o dinheiro que for pra pagar, mas não existe leito para ser atendido. Só com a Covid essa mortalidade dobra ou aumenta consideravelmente”, garante.

“Então, quem assume que a gente pode continuar normal e pode sair tocando a vida (fim do isolamento social) porque 70% dos brasileiros vão pegar isso, está tudo bem, está achando normal que a gente perca esse tanto de vidas”, continuou.

O biólogo ressalta ainda que apesar dos estudos realizados até aqui, não é 100% garantido que esses números estejam corretos, afinal, o vírus ainda é recente.

“Se 70% dos brasileiros se infectarem, que é o que algumas pessoas propõe que seria o teto do problema, sendo que a gente não tem provas e evidências de que vai acontecer dessa forma, o mínimo de vidas que a gente perderia seria isso (1 milhão), agora que a gente sabe qual é a fatalidade real da Covid-19”, completou.

Fonte: Agencia Brasil