Bayern de Munique esgota estoque de 100 mil máscaras em um dia

O Bayern de Munique vendeu 100 mil máscaras de proteção personalizadas contra o novo coronavírus, um dia após colocá-las à venda em suas lojas virtuais. O dinheiro oriundo da comercialização do produto será destinado à “WeKickCorona”, iniciativa criada pelo lateral-direito Joshua Kimmich e pelo meio-campo Leon Goretzka. De acordo com a equipe, essa é uma demonstração de solidariedade.

“Com esta campanha, queremos mostrar que o Bayern está fazendo todo o possível para lidar com a pandemia de maneira exemplar e disciplinada. Ao mesmo tempo, temos o prazer de poder contribuir para a grande iniciativa de Kimmich e Goretzka. É uma grande prova de que nossos profissionais atuam como modelos na sociedade e que demonstrem solidariedade nesta crise”, disse Karl-Heinz Rummenigge, diretor geral do Bayern.

A confecção das máscaras foi realizada com lenços comemorativos pelos 120 anos dos bávaros. Eles seriam distribuídos aos torcedores na partida contra o Chelsea, válida pela Liga dos Campeões, no dia 18 de março. É possível obter a peça individual por cerca de 7 euros (R$ 42) ou por uma promoção, onde três delas são vendidas por cerca de 18 euros (R$ 108). Os itens são reutilizáveis.

“Para nós, é uma preocupação central dar uma contribuição positiva na atual crise do covid-19. Em termos de sustentabilidade, o material já disponível no Bayern é reciclado por uma boa causa. Além disso, queremos reduzir a demanda por produtos médicos fabricando nossas máscaras improvisadas”, acrescentou Jörg Wacker, chefe de internacionalização, estratégia e marketing do Conselho de Administração da equipe.

A iniciativa foi aderida por diversos clubes de futebol, mas também está presente em outras modalidades esportivas. A NBA, por exemplo, produz máscaras de proteção facial personalizadas com os emblemas das equipes participantes das ligas de basquete americanas. Toda receita oriunda com a venda dos itens, assim como as do Bayern, será direcionada para instituições de caridade.

Fonte: Correio