Após casos de coronavírus, Conselho de Enfermagem vistoria Hospital Português

O Conselho Regional de Enfermagem da Bahia (Coren-BA) realizou uma vistoria no Hospital Português devido aos casos de contaminação pelo coronavírus na unidade.

Durante a visita, os fiscais se reuniram com a responsável técnica do serviço de enfermagem, com a enfermeira chefe da UTI Neonatal, com o gerente de Recursos Humanos (RH) e com a enfermeira responsável pela Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH).

Ao Coren-BA, o hospital informou que as ações de combate ao coronavírus começaram em ‪29 janeiro‬, quando o epicentro da epidemia ainda era Wuhan, na China. Ainda ao Conselho, os representantes da instituição afirmaram que a maternidade vinha sendo preparada para receber os casos suspeitos e confirmados da doença desde o Carnaval. 

“Realizaram a organização da estrutura física, elaboração de protocolos e fluxos de atendimento, intensificação dos treinamentos para manejo dos recém-nascidos e genitoras para todos os profissionais de enfermagem, assim como a provisão de equipamentos de proteção individual – EPIs, medidas específicas para o enfrentamento da Covid-19”, pontuou o Coren sobre as informações recebidas durante a visita.

Ainda durante a reunião, os representantes apresentaram documentação com as ações estratégicas realizadas e que vem sendo revisadas constantemente, conforme orientações do Comitê de Crise institucional e da CCIH, buscando manter as medidas de isolamento e precauções para evitar a disseminação do coronavírus. 

Ao Conselho, o hospital ressaltou que a primeira recém-nascida a morrer com a doença no hospital era uma bebê com patologias diversas, dependente de ventilação mecânica desde o nascimento. “No relatório da UTI Neonatal apresentado consta o panorama atual da unidade, bem como as medidas de proteção que foram adotadas diante do quadro emergencial instalado em menos de 72 horas”, informou o Coren.

Nesta quarta-feira (6), outro recém-nascido morreu em decorrência da Covid-19 na UTI Neonatal da unidade. Além dos dois bebês que morreram, outro foi infectado e está com quadro estável, de acordo com o hospital. Vinte recém-nascidos testaram negativo para a doença. 

Ainda de acordo com o Conselho, o hospital afirmou ter estabelecido um novo fluxo de admissão para recém-nascidos, que vem ocorrendo no Centro Obstétrico/berçário de observação. Também informaram que os bebês internados foram transferidos para outro andar da maternidade.

“Todos os colaboradores, pacientes e genitores foram 100% testados em laboratório contratado pela instituição, objetivando agilizar os resultados; os partos eletivos foram cancelados e a emergência obstétrica vem funcionando para atender as demandas espontâneas. Além disso, o hospital vem realizando acompanhamento psicológico das genitoras”, indicou o Conselho sobre as medidas tomadas pela unidade de saúde.

Procurada para comentar a segunda morte na UTI Neonatal e os casos da doença no Hospital Português, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) apenas respondeu que a unidade não integra a rede da Sesab. De acordo com o Sindicato dos Médicos do Estado da Bahia (Sindimed), a unidade de saúde foi denunciada pela falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para os profissioanais.

Fonte: Correio