Paciente que incendiou colchão no Hospital Espanhol testa negativo para covid-19

O agricultor André Saturnino de Souza, 55 anos, que incendiou um colchão no Hospital Espanhol após um surto psicótico, não está com coronavírus. O resultado do exame foi divulgado pelo Laboratório Central de Saúde Pública da Bahia (Lacen) nesta quinta-feira (7). A informação foi confirmada pelo secretário de Saúde da Bahia (Sesab), Fábio Vilas-Boas.

De acordo com a Secretaria de Saúde de Santo Amaro, o paciente ainda era tratado como suspeito, já que deu entrada no Hospital Nossa Senhora da Natividade de Santo Amaro, no Recôncavo baiano, com sintomas similares ao da covid-19, como falta de ar, febre e tosse. Ele foi internado na unidade no dia 3 de maio, onde passou por um teste rápido, e, no dia seguinte, foi transferido para o Hospital Espanhol, no bairro da Barra, em Salvador.

Como já houve a confirmação de que o paciente não está infectado, ele não voltará mais ao Hospital Espanhol, que trata exclusivamente pacientes com coronavírus. André permanecerá internado no Hospital Municipal, em Cajazeiras, onde está em coma induzido e passará por cirurgias, já que fraturou o fêmur.

O agricultor se machucou após pular da janela do 4º andar do Espanhol, na noite de quinta-feira (5). Segundo Fábio Vilas-Boas, o paciente teve um surto psicótico durante a noite. “Ele colocou fogo no colchão e fechou a porta com a cama. Depois ele se jogou da janela”, explicou. 

O paciente não tinha histórico deste tipo de surto e a situação pode ser explicada pela baixa oxigenação do sangue, o que pode acontecer em pacientes com outras doenças que causem deficiência respiratória, não apenas a covid-19, segundo acrescentou o secretário, que é médico cardiologista.

Medidas
Após o surto, a Sesab instalou grades de ferro nas janelas do Hospital Espanhol, para evitar acidentes e fugas, e também instalou televisões e disponibilizou Wi-Fi para amenizar a solidão dos infectados que estão internados.

Foto: Divulgação

Apesar de nenhum outro apartamento ter sido atingido pelo fogo, 32 leitos foram, temporariamente, fechados no hospital e 26 pacientes foram transferidos para outras unidades de saúde especializadas para covid-19: Hospital Ernesto Simões, Hospital do Subúrbio, Instituto Couto Maia e Itaigara Memorial. Outros seis foram removidos para outros leitos no próprio hospital. 

Foto: Divulgação

O Hospital Espanhol estava fechado desde 2014 e foi reaberto no dia 22 de abril, para receber exclusivamente pacientes graves diagnosticados com a covid-19.

Cedida peça Justiça Federal para que fosse usada no combate ao novo coronavírus, a unidade de saúde passou por obras de adequação e hoje conta com 220 leitos, sendo 80 leitos clínicos e 140 de UTI. 

Fonte: Correio