Noivos celebram o casamento pela tela do computador

O casamento é uma celebração do amor, da união de duas pessoas que escolhem, com muito carinho, uma data para oficializar toda a história que viveram e ainda vão viver juntas. E quem estava com o casório marcado para 2020 se deparou com uma situação jamais vista: ter que adiar o sonho por conta de uma pandemia causada por um vírus que veio lá da China. A nutricionista Adriana Melo, 55 anos, e o aposentado José Cândido de Carvalho, 57, tiveram que aceitar essa realidade. 

O casal se conheceu em outubro de 2017 e, no ano passado, resolveu que era o momento de oficializar a união. O casamento, que receberia cerca de 200 pessoas, estava marcado para acontecer no último sábado (2), em uma cerimônia ao ar livre, num sítio no litoral norte.

Junto com o adiamento da festa, veio o sentimento de tristeza de Adriana: “Fiquei abalada com isso, porque nos empenhamos e foi uma mobilização muito grande, um investimento que é financeiro e emocional. A gente planejou todo o evento e veio a pandemia e desmanchou”, lembrou a nutricionista.  

A noiva então se reuniu com Tatiane Silveira, sua cerimonialista e que há 12 anos trabalha no ramo de organização de casamentos, e as duas chegaram a um consenso com os fornecedores da festa para adiar o casamento para novembro. Mas como a própria Tatiane afirmou, as duas desenvolveram uma relação muito próxima no período de organização da festa, e a cerimonialista resolveu surpreender o casal, garantindo que a data não passaria em branco. 

Adriana e Cândido (no lado direito da imagem, com destaque da borda amarela) se reuniram com amigos e familiares (Foto: Reprodução)

“Me veio a inspiração de fazer uma cerimônia online. Liguei para todos os fornecedores e durante o sábado a Adriana foi muito surpreendida”, relembrou Tatiane, que destacou a solidariedade e empatia de todos que estavam envolvidos na organização. Do buquê à bandeja com doces e salgados, os noivos puderam sentir, mesmo dentro de casa, o clima que eles e todos os convidados estariam vivendo se não houvesse pandemia.

A inspiração de Tatiane se uniu com a vontade de Adriana de querer reunir os mais próximos para selar os votos. E o que antes era tristeza se tornou um momento de animação, tanto que, na hora que a marcha nupcial foi tocada, mais de 60 usuários estavam acompanhando o “casamento” virtual, que durou pouco mais de uma hora.

O momento se tornou ainda mais único já que outras cerimônias assessoradas por Tatiane estão marcadas para o segundo semestre e, até lá, ela espera que já possa realizar os casamentos normalmente. 

“Pedi a gráfica que fizesse uma versão digital do convite que já estava pronto. Depois enviei para os convidados”, contou Tatiane, sobre os preparativos para a cerimônia virtual. 
 

O responsável pela trilha sonora, Raimundo Passos, que é flautista e diretor do grupo musical ComPassos, descreveu a situação como inédita e lembra bem da sensação: “Foi uma emoção muito grande. A iniciativa reuniu todos que estariam no casamento e passou uma mensagem de paz, amor e comprometimento com o sentimento deles”, disse o músico. 

Após a cerimônia, a sensação que ficou em todos que organizaram e participaram da festa foi de felicidade. Para Patrícia Cerqueira, da VP2 Soluções, empresa que cuida das estruturas nos cenários, mesmo sem poder atuar com seu serviço no momento da comemoração, ele foi importante pois reviveu a sensação de dever cumprido para aqueles que trabalham com a organização festas e que foram duramente atingidos pela pandemia.

“Fiquei o dia todo nessa emoção. As pessoas começaram a se empolgar e muita gente mandou foto se arrumando pro casamento, foi uma coisa incrível “, lembrou Adriana 

“Estou muito feliz e grata por ter proporcionado um momento de amor, fé e carinho para os noivos, convidados e todos que organizaram. Estávamos todos muito conectados”, completou Tatiane. E em novembro, quando será responsável por fazer a festa acontecer de fato, ela celebrará o terceiro casamento de Adriana e Cândido. Isso porque os dois já são casados no civil e agora viveram essa experiência.

 “Primeiro no papel, depois no virtual e depois vai vir a festa presencial”, brincou Adriana. E como manda a brincadeira, quem faz três gols pode pedir música, mas e quem casa? Bom, se depender da noiva, a trilha do casamento no fim do ano vai ficar por conta de Elba Ramalho, interpretando o clássico Entre o Céu e o Mar.   

* Com orientação da subeditora Clarissa Pacheco
 

Fonte: Correio