Bahia registra 198 mortes por covid-19

A Bahia já soma 5.546 casos confirmados do novo coronavírus. No estado, 198 pessoas morreram pela covid-19, a infecção causada pelo vírus descoberto em dezembro do ano passado, na China. Segundo o último boletim da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), divulgado na tarde deste domingo, dia 10, 1.384 pacientes se recuperaram da doença. Outras 3.964 pessoas permanecem monitoradas pela vigilância epidemiológica e com sintomas.

O boletim epidemiológico registrou também 10.864 casos descartados e 20.085 notificações. Até o momento, 623 profissionais de saúde tiveram diagnóstico positivo para a covid-19. 

Salvador é a cidade com maior número de mortes, 128. Dos dois novos óbitos informados no boletim deste domingo, uma das vítimas era residente de Salvador: um homem de 67 anos, sem histórico de comorbidades e que faleceu na quinta-feira, dia 07, sendo que apenas neste domingo ocorreu a confirmação da causa do óbito.

A redução de 23 casos em relação ao último boletim divulgado justifica-se pela identificação de pacientes em duplicidade no momento da integração das diversas bases de dados que registram ocorrências da doença no estado.

Os dados do boletim oficial são compilados pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais.

Mortes

As 198 mortes registradas na Bahia ocorreram em: Adustina (1); Água Fria (1); Araci (1); Belmonte (1); Buerarema (3); Camaçari (3); Capim Grosso (3); Catu (1); Coaraci (1); Feira de Santana (2); Gandu (1); Gongogi (2); Ibirataia (1); Ilhéus (11); Ipiaú (2); Itabuna (6); Itagibá (1); Itapé (1); Itapetinga (2); Jequié (2); Jitaúna (1); Juazeiro (1); Lauro de Freitas (5); Maraú (1); Nilo Peçanha (1); Paramirim (1); Ribeira do Pombal (1); Salvador (128); São Francisco do Conde (1); Ubaitaba (1); Uruçuca (4); Utinga (1); Vera Cruz (1); Vereda (1) e Vitória da Conquista (4). 
Os números contabilizam todos os registros de janeiro até às 12 horas deste domingo.

•    191º óbito: homem, 58 anos, residente em Salvador, com histórico de hipertensão arterial. Veio a óbito no dia 30/04.
•    192º óbito: homem, 42 anos, residente em Salvador, sem comorbidades. Veio a óbito no dia 02/05, em unidade da rede municipal.
•    193º óbito: homem, 77 anos, residente em Salvador, com histórico de diabetes e hipertensão arterial. Veio a óbito no dia 23/04, em hospital público da capital.
•    194º óbito: homem, 62 anos, residente em Salvador, com histórico de doença cardiovascular crônica e imunossupressão. Veio a óbito ontem (8), em hospital público de Salvador.
•    195º óbito: homem, 57 anos, residente em Salvador, com histórico de diabetes. Veio a óbito ontem (8), em hospital público da capital.
•    196º óbito: homem, 59 anos, residente em Salvador, com histórico de doenças renais crônicas em estágio avançado. Veio a óbito hoje (9), em hospital público de Salvador.
•    197° óbito: mulher de 80 anos, residente em Paramirim, com histórico de doença pulmonar. Estava internada em hospital público de Vitória da Conquista, vindo a falecer no sábado, 9.
•    198° óbito: homem de 67 anos, residente em Salvador, sem histórico de comorbidades. O paciente estava internado em um hospital público na capital, vindo a falecer em 7 de maio.

Definição de caso suspeito de covid-19:

Definição 1 – Síndrome Gripal (SG): indivíduo com quadro respiratório agudo, caracterizado por sensação febril ou febre, mesmo que relatada, acompanhada de tosse ou dor de garganta ou coriza ou dificuldade respiratória.
– Em crianças (menos de 2 anos de idade): considera-se também obstrução nasal, na ausência de outro diagnóstico específico.
– Em idosos: a febre pode estar ausente. Deve-se considerar também critérios específicos de agravamento como sincope, confusão mental, sonolência excessiva, irritabilidade e inapetência.

Definição 2 – Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG): Síndrome Gripal que apresente dispneia/desconforto respiratório ou pressão persistente no tórax ou saturação de O2 menor que 95% em ar ambiente ou coloração azulada dos lábios ou rosto.
– Em crianças: além dos itens anteriores, observar os batimentos de asa de nariz, cianose, tiragem intercostal, desidratação e inapetência.

Fonte: Correio