Salvador já tem três hospitais de campanha que somam 360 leitos exclusivos de covid-19

Com a inauguração do hospital de campanha do Wet’n Wild nesta terça-feira (12), Salvador tem agora três unidades de saúde temporárias que somam quase 360 leitos exclusivos de covid-19. No novo hospital, localizado na Avenida Paralela, a prefeitura montou 50 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 40 vagas de enfermaria, os chamados leitos clínicos. Os outros dois são o Itaigara Memorial, com 47 leitos de UTI, e o antigo Hospital Espanhol, na Barra, que concentra 220 leitos, sendo 140 de UTI e 80 clínicos. 

Fechado há quase seis anos por pendências de dívidas trabalhistas, o Espanhol foi reivindicado na justiça pelo governo do estado, que ganhou em março o direito de administrá-lo temporariamente para enfrentar a pandemia. No Itaigara Memorial já há 16 pacientes internados e no Wet’n Wild três internações na mesma tarde de abertura.

De acordo com dados da Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab), dos 1.090 leitos públicos do estado destinados à doença, 44% deles estavam ocupados conforme dados do boletim desta terça-feira. Nos leitos de UTI, utilizados em pacientes com quadros mais graves, a taxa de ocupação foi maior. Entre os 462 disponíveis, 255 estão em uso, ou seja, 55,2%.

A situação em Salvador antes da chegada do novo hospital era de 73% de ocupação dos leitos de UTI e 45% em enfermaria, segundo dados da Secretaria Municipal da Saúde (SMS). Atualmente, o tempo médio de ocupação de leitos nas unidades públicas de saúde de Salvador é de 14 dias para UTI e sete dias para clínicos. “A previsão era de colapso de leitos a partir do dia 14 [de maio]. No entanto, todo o esforço na oferta de novos leitos e de mais medidas de restrição chegaram à redução da taxa de transmissão para 7%, taxa essa que já chegou a 10%. Então, esse colapso não vai acontecer agora”, revelou ACM Neto.

A unidade entregue nesta terça-feira começou a ser construída no dia 1º de abril e teve investimento municipal de R$ 30,4 milhões. O espaço, geralmente usado para montagem de palcos e de outras estruturas de shows, precisou ser adaptado. O prefeito ACM Neto disse que o hospital já está pronto para receber pacientes.

“Essa é a mais expressiva e a mais importante entrega de um equipamento durante o período do coronavírus feita em toda a Bahia. Quando o coronavírus começou, na China, e começamos a ver as famílias sofrendo por causa da doença, um vídeo viralizou nas redes sociais em que um hospital foi montado em poucos dias, fruto da capacidade financeira e de infraestrutura daquele país. Não imaginava que pouquíssimo tempo depois, Salvador teria que passar pelo mesmo desafio. Se me perguntassem naquele momento se seria possível construir um hospital com 90 leitos, sendo 50 deles de UTI, em 30 dias, eu diria que era uma missão quase impossível. No entanto, estamos aqui hoje para mostrar que essa missão não apenas era possível como se tornou realidade”, afirmou o prefeito.

Ao todo, 574 profissionais de saúde vão trabalhar na nova unidade. As especialidades incluem médicos clínicos, intensivistas, pneumologistas, cardiologistas e infectologistas, além de enfermeiros, auxiliares de enfermagem, fisioterapeutas, assistentes sociais, psicólogos e farmacêuticos. Haverá serviços de ultrassom, radiologia e laboratório.

Unidade vai receber apenas pacientes transferidos (Foto: Gil Santos/ CORREIO)

Estrutura
O hospital tem respiradores, monitoradores multiparamétricos que fazem a leitura dos sinais vitais do paciente, e cardioversores, para reanimação. Durante a inauguração o prefeito afirmou que autorizou a ampliação da unidade com mais 100 leitos de enfermaria. A tenda onde vai funcionar essa nova ala já está de pé, mas a prefeitura ainda está estudando quando eles estarão disponíveis para uso.

Os corredores e os quartos do novo hospital são amplos, iluminados e climatizados. A diretora geral da unidade, Ana Paula Pereira, disse que a criação de novos leitos no momento em que a Bahia se aproxima do pico de contaminação é uma ação fundamental para auxiliar a população, e destacou a instalação de um túnel de desinfecção que foi colocado na saída do hospital de campanha.

“Aqui vamos oferecer leitos que conseguem dar suporte de terapia intensiva e leitos que conseguem dar um suporte de retaguarda fora de uma unidade hospitalar. É um reforço a mais para a rede de saúde que já existe em Salvador. A relevância do túnel é que após a saída dos profissionais de saúde que não trabalham aqui, mas que vieram trazer pacientes, como as equipes do Samu e de bombeiros, antes de retornar aos veículos, eles passam pelo túnel de desinfecção. É uma proteção a mais para segurança das pessoas”, contou.

O atendimento no Wet’n Wild será feito através da regulação, ou seja, não adianta alguém doente procurar a unidade porque ela só vai receber pacientes transferidos de outros locais. O hospital tem uma câmara fria com capacidade para 28 cadáveres, e outras está sendo construída para abrigar até 42 corpos. A orientação do município é para que, nos óbitos registrados até às 14h, os sepultamentos aconteçam no mesmo dia.

Leitos  
Segundo a prefeitura, a taxa de ocupação dos leitos clínicos da rede pública de Salvador estava em 45% e dos leitos de UTI em 73%, na segunda-feira (11). A abertura de novos leitos nesta terça vai diminuir essas porcentagens e empurrar a saturação para mais distante, mas o prefeito reforçou que isso não significa que o perigo passou. A estimativa é de que o pico das infecções dure um mês, entre 20 de maio e 20 de junho. Os médicos reforçaram a necessidade do isolamento e do distanciamento social.

O prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins, também acompanhou a inauguração. Assim como na capital, a cidade está com algumas atividades suspensas, como shoppings e academias – mas houve flexibilização de algumas atividades, como a permissão do funcionamento de estabelecimentos comerciais de até 200 metros quadrados.

Ele contou que o município está com quatro pacientes internados, dois deles estão em Feira e outros dois estão sendo atendidos em Salvador. O gestor cobrou mais consciência da população.

“Nos bairros há uma certa desobediência. No Centro da cidade as pessoas do comércio e do supermercado estão tendo cuidado de lavar as mãos e do uso de máscaras. No entanto, existem ainda muitas aglomerações. O principal é a conscientização. Essa semana teve uma pessoa que arrombou um ginásio de esportes da prefeitura para poder praticar esportes, então, é uma questão de consciência das pessoas”, afirmou.

Segundo a Sesab, até a tarde desta segunda, o estado tinha 6.204 casos confirmados de covid-19 e registrado a morte de 225 pessoas. Os infectados confirmados estão espalhados por 180 municípios do estado, com maior proporção em Salvador (71,84%, com 4.107 doentes).

Leitos estão prontos para receber pacientes (Foto: Gil Santos/ CORREIO)

*Colaborou Marina Hortélio, com orientação da editora Mariana Rios 

Fonte: Correio