Secretaria alerta para baixa procura de vacina contra a gripe em Salvador

A procura de gestantes e puérperas pela vacina contra a gripe tem sido baixa. O alerta é foi feito pela Secretaria Municipal de Saúde, que montou um esquema para facilitar a imunização deste público, beneficiado na segunda fase da campanha contra o H1N1.

Desde a última segunda-feira (11), a prefeitura distribuiu doses da vacina para todas as 142 salas de imunização da rede municipal. Para quem tem carro e não quer se expor em pontos físicos, há ainda a opção de cinco drives-thru, localizados na Arena Fonte Nova; no 5º Centro de Saúde Clementino Fraga, nos Barris; nos dois campi da Faculdade Bahiana de Medicina, nos bairros do Cabula e Brotas; e no Atakadão Atakarejo de Fazenda Coutos. O atendimento é das 8h às 17h.

“A adesão tem sido baixa nos últimos dias, apesar dos esforços de ampliação dos pontos de vacinação. É importante que o público-alvo se dê conta da seriedade da situação epidemiológica no país e busque a imunização. Normalmente, o pico dos casos de gripe acontece a partir dos meses de junho e julho. Por esse motivo, é importante se vacinar agora para que, no período em que a incidência da doença é maior, as pessoas com maior vulnerabilidade estejam protegidas”, explicou Doiane Lemos, subcoordenadora de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Segundo a SMS, desde o início da campanha de vacinação, em 23 de março, foram imunizadas pouco mais de 470 mil na capital. Os idosos são os que mais buscam o serviço e 115% deste público-alvo já foi imunizado. Ou seja, as doses foram distribuídas para o número de idosos que residem em Salvador e também para habitantes de outras cidade que buscaram a vacinação na cidade.

A vacina também já contemplou 91% dos profissionais de saúde. Entre as gestantes, a cobertura é de apenas 29%, enquanto as puérperas tiveram 39% da cobertura. O pior índice é entre crianças de seis meses a menores de seis anos, com apenas 2%.

Nesta fase, podem ser vacinados ainda portadores de doenças crônicas, funcionários do sistema prisional, caminhoneiros, portuários, motoristas e cobradores do transporte público, bem como pessoas com deficiência. Quem tem doenças crônicas deve apresentar a prescrição médica com o motivo da indicação, ou seja, a patologia que o paciente apresenta. Já as puérperas também devem comprovar a que realização do parto nos últimos 45 dias.

A partir da próxima segunda-feira (18), serão incorporados à estratégia professores das escolas públicas e privadas e os adultos de 55 a 59 anos. A campanha seguirá até 5 de junho em Salvador. 

Fonte: Correio