Jacobina determina fechamento do comércio após recomendação do MP-BA

A prefeitura de Jacobina determinou o fechamento do comércio da cidade a partir de sábado (16), seguindo até o dia 24 de maio, após recomendação do Ministério Público Estadual (MP-BA). A ideia é diminuir a velocidade de disseminação do coronavírus. A medida pode ser prorrogada. 

Quando o comércio da cidade se manteve fechado, Jacobina não teve registros de pessoas infectados. Treze dias depois que a atividade foi liberada, seis casos da covid-19 surgiram. Agora, Jacobina tem 12 pacientes com o novo coronavírus e um óbito registrado, de acordo com balanço da prefeitura. Pelo boletim da Secretaria da Saúde (Sesab), são três casos e uma morte – a prefeitura tem velocidade maior no registro. 

O prefeito Luciano Pinheiro pediu ajuda da população. “Vamos fechar essa semana e acompanhar os acontecimentos. Vamos aproveitar esse período para efetivamente ficar em casa, para que a gente possa contribuir nesse processo de maneira muito positiva para nosso município”, diz. “Pedimos aos comerciantes que cumpram rigorosamente esse decreto”.

Desde ontem, o Hospital Vicentina Goulart atende na cidade como unidade de referência dos casos de coronavírus. Até então, os casos suspeitos tinham atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Agora, a UPA volta a a atenção novamente para casos de urgência. Antes, o local ficará parado por 2 dias para uma desinfecção. 

A cidade tem 10 leitos de isolamento com respiradores e suporte para pacientes, além de 100 leitos clínicos, mas não há UTI por lá. A prefeitura recebeu verba de R$ 6 milhões do governo federal para investimento na saúde e está prevista instalação de 10 leitos de UTI e 10 de semi-UTI, mas ainda sem data definida.

Fonte: Correio