Congresso Virtual da Ufba começa nesta segunda-feira; veja convidados

Começa nesta segunda-feira (18), o primeiro Congresso Virtual da história da Universidade Federal da Bahia (Ufba). O evento segue até o dia 29 de maio e é uma ação pensada pela Administração Central da Ufba para, em tempos de necessário isolamento social por conta do coronavírus, proporcionar à comunidade universitária um espaço de encontro e demonstração pública da vitalidade de sua pesquisa, ensino e extensão, contemplando também a livre expressão de suas artes e o exercício de sua capacidade de reflexão crítica sobre a atual conjuntura – tudo isso remotamente, sem que ninguém precise sair de casa. 

Até a semana passada, o Congresso já tinha mais de 12 mil inscritos e havia recebido mais de 600 propostas de mesas de debates e intervenções artísticas, além de centenas de videopôsteres de cinco minutos enviados por estudantes de graduação e pós-graduação da Universidade.

“Muitas personalidades já confirmaram sua presença. Pessoas destacadas no país vão estar junto com a UFBA, celebrando conhecimento e solidariedade, nossa melhor resposta nesse momento de resistência e de combate ao obscurantismo e a qualquer saída autoritária para a crise que nós vivemos”, afirma o reitor da UFba e presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior, João Carlos Salles.

O reitor fará a abertura do evento nesta segunda-feira, às 15h. O ato será transmitido pelo YouTube. Entre os convidados de fora da UFBA que já confirmaram participação estão Bob Fernandes, Felipe Santa Cruz, Gregório Duvivier, José Miguel Wisnik, Judith Butler, Lilian Schwarcz, Mia Couto, Sabine Righetti, Tábata Amaral e Vladimir Safatle. Veja a lista de convidados confirmados até o momento no site do Congresso.

Também estarão presentes representantes de instituições científicas nacionais, como Ildeu Moreira, presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Nísia Trindade, presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), e Luiz Davidovich, presidente da Academia Brasileira de Ciências (ABC), além de 20 reitoras e reitores de universidades federais.

Desafio tecnológico inédito
A grande novidade – e o desafio – do Congresso, segundo a Ufba, é um alcance planetário para uma audiência ilimitada. Para isso, serão aplicadas as novas tecnologias da informação e comunicação (NTICs) integradas aos vários recursos das plataformas de mídias sociais – adequando-se ao atual momento de distanciamento social, devido à pandemia de covid-19.

Nesta edição do evento, as atividades serão transmitidas ao vivo pelo Youtube e pelo Facebook. De acordo com o superintendente de Tecnologia da Informação da UFBA, Luiz Cláudio Mendonça, “a previsão é de até sete transmissões ao vivo (lives) simultâneas e sem limite para os internautas assistirem. Para acompanhar, bastará apenas que os usuários acessem os respectivos canais”.

Por sua vez, “os apresentadores e expositores das sessões que acontecerão ao vivo estarão conectados numa sala virtual, transmitida em forma de streaming para os canais do YouTube e Facebook”, explica Mendonça. Valendo-se das funcionalidades da plataforma StreamYard, técnicos da STI darão suporte às mesas temáticas, que poderão reunir até seis participantes – entre apresentadores, debatedores e mediadores – para que a audiência possa assistir aos debates.

Também haverá atrações previamente gravadas, cujos vídeos serão disponibilizados ao longo da programação diária, na plataforma do YouTube. Tanto as transmissões ao vivo das sessões e videopôsteres de até 5 minutos enviados pelos estudantes, quanto os vídeos gravados ficarão disponíveis nos canais nas redes sociais, acrescenta o superintendente. A programação com as atividades e orientações sobre como acessá-las será disponibilizada no site do Congresso.

Estudantes, professores e técnico-administrativos devem se inscrever através do site do Congresso. Os inscritos poderão participar do evento de três maneiras: apresentação de “pôsteres”, por meio de vídeos gravados de até 5 minutos; realização de mesas de discussão, entrevistas ou depoimentos ao vivo ou gravados, através de aplicativos de reunião e transmissão de eventos; e intervenções artísticas, através de múltiplos suportes: vídeo, audio, fotografia, entre outros. Os participantes inscritos receberão certificados.

Para apoio aos expositores, a STI vem criando materiais com orientações específicas sobre como utilizar as várias ferramentas. Todos os expositores passarão por um treinamento online, e serão realizados testes prévios para garantir a qualidade do evento. Além disso, será destacada uma equipe de pelo menos dois técnicos especializados para acompanhamento de cada sessão realizada, enfatiza o superintendente, que, de forma semelhante a um programa de TV ao vivo, cuidarão de atividades como seleção das câmeras que irão ao ar a cada momento, orientação aos mediadores, monitoramento da qualidade da transmissão, inserção de caracteres informando os nomes dos expositores, títulos das atividades, avisos de destaque e outras funções.

Fonte: Correio