Hackers invadem notificações do Globoplay e assustam usuários

Quem tem o aplicativo do Globoplay no celular tomou um susto no início da madrugada deste domingo (17). Uma notificação enviada pela plataforma de streaming do Grupo Globo indicava que o sistema havia sido invadido por hackers.

No celular dos assinantes, chegou a mensagem “HACKED BY OURMINE”, dando a impressão de que o sistema havia sido invadido. O assunto surpreendeu tanto, que foi parar nos assuntos mais comentados do Twitter brasileiro, com a tag #GloboHack.

A ação foi reivindicada pelo OurMine, que se apresenta como “um grupo de hackers famoso por invadir redes sociais de grandes nomes da tecnologia, famosos e empresas”. Entre as vítimas desses hacker estão o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, a plataforma Netflix e o clube de futebol Barcelona. No Brasil, eles já agiram invadindo o perfil do Esporte Interativo, canal da Turner.

Em seu perfil oficial no Twitter, o Globoplay negou que o sistema foi vítima de invasão, mas confirmou que o sistema de envio de notificações da plataforma, gerenciado por uma outra empresa parceira, “foi alvo de uma ação de cibervandalismo”. De acordo com a empresa, os invasores enviaram duas mensagens que direcionavam o usuário para um site externo.

O Globoplay aproveitou ainda para tranquilizar e garantiu que a invasão ocorreu só na empresa parceira e que nenhuma informação dos usuários, assinantes ou não, foi vazada, já que este sistema não se conecta com os bancos de dados e nem a qualquer outro sistema.

“Não existe qualquer risco em usar o Globoplay, em qualquer plataforma. Não é necessário desinstalar o aplicativo nem trocar senha. Os usuários devem deletar as notificações cujo texto começa com “Hacked by…”. Essas notificações direcionam o usuário para o site do grupo invasor”, informou a empresa.

O Globoplay lamentou o ocorrido e pediu desculpas a todos os usuários. Completou ainda dizendo que vai “trabalhar internamente e junto aos parceiros para reforçar medidas de segurança que minimizem os riscos de novos incidentes”.

Fonte: Correio