Prefeitura contrata dez equipes do Samu para reforçar combate à covid-19

Neto: “O atendimento rápido pode ser decisivo para salvar vidas” (Foto: Alexandre Lyrio)

O prefeito ACM Neto anunciou na manhã deste sábado a incorporação de dez ambulâncias e suas equipes à frota de 41 veículos que operam no Samu. O objetivo é reforçar o combate à pandemia do novo coronavírus. Agora, serão 51 veículos para otimizar o tempo de deslocamento nas ocorrências e regulação de pacientes das Unidades de Pronto Atendimento (Upas) para os hospitais de referência.

Além dos veículos, foram convocados novos profissionais, entre condutores, enfermeiros e médicos, aprovados no último Regime Especial de Direito Administrativo (Reda). Além das dez ambulâncias já em atuação, o prefeito anunciou que vai contratar mais dez equipes. Ainda em fase inicial, o processo foi autorizado e será publicado no Diário Oficial do Município.

No total, portanto, serão 61 equipes do Samu operando no transporte de pacientes graves entre Upas, hospitais e outras unidades. “Ter a equipe e o atendimento rápido pode ser decisivo para salvar a vida de uma pessoa. Na hora do transporte, esses pacientes graves podem seguir entubados se necessário”, afirmou Neto.

As primeiras dez das 20 equipes contratadas (Foto: Alexandre Lyrio)

O prefeito ainda anunciou uma terceira novidade. Através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a prefeitura também vai contratar uma organização social para reforçar o serviço do Samu. A organização é dotada de ambulâncias com respiradores. “A gente não tem como prever se essas 61 equipes serão suficientes. Por isso, contrataremos essa organização social. Assim, teremos reserva e atendimento ampliado. Vamos salvar o maior número de vidas possível”.   

O Samu de Salvador também atenderá pacientes de dez cidades da Região Metropolitana (RMS). “Não faremos distinção. Ontem mesmo recebemos no hospital de campanha pacientes vindos do interior”, disse Neto, dando boas-vindas às novas equipes. “Quero dar as boas-vindas a todos os novos colaboradores se se incorporam para nos ajudar nessa guerra. Vocês são pessoas que correm risco, se expõem, estão na linha de frente. Na grande maioria dos casos transportam pessoas em estado grave, além de infectadas”.

Mais bairros vão sofrer restrições

Nesta segunda-feira (18) encerram-se os prazos dos decretos municipais que suspendem atividades e disciplinam a circulação de pessoas em quatro áreas da cidade. São elas Pituba, Plataforma, Boca do Rio e Avenida Joana Angélica, que tiveram seus comércios parcialmente ou totalmente fechados. O trecho da Orla entre o antigo Clube Português e o novo Centro de Convenções também foi interditado.

Além de anunciar que estuda a prorrogação desses decretos, Neto adiantou que outros bairros devem vão ser submetidos a medidas mais duras de restrição. As novas áreas serão divulgadas nessa segunda-feira (18), às 10h, em uma entrevista coletiva. “Estamos concluindo o processo de análise dessas áreas e apresentaremos os dados para ajuste das medidas. Alguma área pode ser excluída da medida e outras podem ser incluídas. Vamos definir nesse estudo que faremos até domingo à noite”. As quatro primeiras áreas, disse o prefeito, foram totalmente higienizadas por agentes da Limpurb.

“Tivemos uma grande redução na circulação de pessoas e veículos nessas regiões. O impacto na cidade foi imediato. Vínhamos com a redução na circulação de veículos de 25% na cidade inteira. Com as restrições nessas quatro regiões, aumentamos a redução para 40%. Conseguimos voltar a níveis do início das medidas restritivas”, garantiu Neto, que pretende manter a estratégia de setorialização das medidas e não de um fechamento total da cidade (lockdown).

O prefeito disse que a ocupação dos leitos disponíveis no sistema de saúde segue crescendo e que ainda preocupa bastante a taxa de transmissão. “Ainda não é a desejada. Hoje a transmissão é 6,6%. Já foi quase 11%, mas só nos sentiremos mais à vontade quando ela for para menos do que abaixo de 6%. Estamos matando um leão por dia para evitar o colapso no sistema de saúde. A situação é dramática. Todo esse esforço se resume em evitar a falta de leitos”, afirmou Neto.  

Escolas

As aulas das redes pública e particular continuarão suspensas até o início de junho, antecipou o prefeito. Neto disse que a prefeitura vai lançar um programa de educação à distância de conteúdo complementar para os alunos do ensino fundamental. Em junho, um canal aberto de televisão também estará disponível para os estudantes. “Tenho conversado com as escolas. Dificilmente as aulas vão voltar no mês de junho. No mês de maio está completamente descartado”. Mesmo assim, Neto acredita na preservação do ano letivo. “Vamos invadir 2021, mas acredito que não vamos perder o ano letivo”.

Fonte: Correio