Mesmo na pandemia, EUA mantêm voos de deportados para Confins

Desde março deste ano, quando o Brasil já entrava no mapa da pandemia de coronavírus, 524 brasileiros foram deportados pelos Estados Unidos em voos fretados, com destino ao aeroporto de Confins. Os voos, que se tornaram recorrentes no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte desde outubro do ano passado, já trouxeram 837 cidadãos de volta ao Brasil, segundo a BH Airport, que gerencia o local. 

Ela prevê a chegada de mais um avião na tarde desta sexta-feira (15), com 80 brasileiros, no que vai ser o 15º voo desde outubro de 2019. Com esses passageiros, o total chega a 917 pessoas deportadas dessa forma desde o final do último ano. 

Em entrevista coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira (15), o novo embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman, reafirmou que a mensagem dos EUA é que os brasileiros não tentem entrar ilegalmente no país. “(Esses voos) estão sendo feitos em completa coordenação com o governo brasileiro e ajudando essas pessoas”, disse. Chapman assumiu a embaixada no Brasil no final de março. 

Durante a entrevista, ele também comentou as relações comerciais entre Estados Unidos e China em meio à pandemia. “Erramos em depender tanto da China. Já estamos retirando algumas indústrias (do país asiático)”, afirmou, destacando que vê oportunidade para o Brasil fortalecer a indústria local. 

Fonte: Agencia Brasil