Aceleramos o Jetta GLI, o sedã médio mais potente do Brasil, com 230 cv

 

Se potência é fundamental para a escolha de um sedã médio, a configuração GLI do Jetta dispara na frente. Seu propulsor 2 litros turbinado entrega 230 cv. Ou seja, sai na frente do Chevrolet Cruze LT ou Premier (1.4 turbo 150 cv), Honda Civic Touring (1.5 turbo 171 cv) e Toyota Corolla (2.0 aspirado 177 cv).

A configuração GLI do Jetta tem propulsor 2 litros turbinado que entrega 230 cv

Mas o GLI oferece também conforto aos seus ocupantes, como refrigeração e aquecimento para os bancos dianteiros, que são forrados de couro e contam com ajustes elétricos. Há ainda seis airbags, transmissão automática de seis velocidades, painel de instrumentos digital e controle adaptativo de distância e velocidade com função de frenagem de emergência.

O GLI oferece ainda refrigeração e aquecimento para os bancos dianteiros, forrados de couro e com ajustes elétricos

Custa R$ 155.780, enquanto a versão mais barata do Jetta, a 250 TSI, custa R$ 99.990. Vale lembrar também que o GLI é o único Jetta com suspensão independente nas quatro rodas, além de utilizar com exclusividade o motor 2 litros turbo. O único opcional da versão esportiva é o teto solar, que custa R$ 5.390.

Vale lembrar também que o GLI é o único Jetta com suspensão independente nas quatro rodas

Em relação às configurações mais completas da concorrência os preços são: Chevrolet Cruze Premier II R$ 125.590, Honda Civic Touring R$ 136.700 e Toyota Corolla 2.0 Altis R$ 134.900. A Toyota ainda oferece uma versão híbrida para seu sedã, que com todos os opcionais chega a R$ 142.490.

Confira o vídeo e acompanhe as impressões do jornalista automotivo Antônio Meira Jr., editor de veículos do CORREIO, sobre o Jetta GLI.

Fonte: Correio