Uma equipe da TV Integração, fliada da TV Globo em Minas, foi agredida por um empresário em Barbacena, na Zona da Mata, enquanto gravava uma reportagem em frente à entrada da Escola Preparatória de Cadetes do Ar (Epcar), que registra casos de Covid-19 entre os militares.

O agressor identificado como Leonardo Rivelli, de 54 anos, é dono de uma empresa do ramo alimentício da cidade. Ele acabou preso e levado para delegacia para prestar depoimento. O flagrante da agressão foi filmado pela própria repórter da TV Integração.

Veja como foi a agressão:

 
 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by Jornalistas de Minas (@jornalistasdeminas) on May 20, 2020 at 11:13am PDT

De acordo com a TV Integração, a repórter Thais Fulin e o cinegrafista Robson Panzera gravavam na rua Santos Dumont, no bairro São José, quando o empresário parou o carro e começou a proferir xingamentos contra a emissora e a imprensa de forma geral.

Em seguida, Rivelli foi para cima do cinegrafista e começou a agredí-lo com o tripé da câmera, além de trocar chutes e socos com o profissional de imprensa. Em seguida, o empresário sai andando do local em direção ao veículo dele. O repórter cinematográfico se machucou, teve uma lesão no dedo e um corte na mão, e precisou ser socorrido para a Santa Casa de Barbacena.

Após ser preso e ouvido pela polícia, o empresário Leonardo Rivelli pagou fiança de R$ 1.000 e foi solto no fim da tarde desta quarta-feira. Segundo a Polícia Civil, ele vai responder pelos crimes de dano qualificado e lesão corporal.

Defesa

O advogado Pedro Possa, que defenderá o empresário, afirmou ao site G1 que seu cliente não quer se manifestar sobre o caso e só vai se pronunciar em juízo. 

Coincidentemente, Possa foi um dos defensores de Adélio Bispo de Oliveira, autor da facada contra o então candidato à Presidência e atual presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, durante evento de campanha dele em Juiz de Fora, em 2018.

Entidades repudiam agressão

Várias entidades de classe ligadas ao jornalismo – Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), Associação Mineira de Rádio e Televisão (Amirt), além da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) divulgaram notas de repúdio à agressão gratuia e injustificada sofrida pelo cinegrafista e pela repórter da TV Integração, em Barbacena. 

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais (SJPMG) informou que o caso será encaminhado também ao Ministério Público de Minas, que criou força-tarefa para apurar ataques a jornalistas durante a cobertura da pandemia do novo coronavírus.

 

Fonte: Agencia Brasil