Uma carga com mais 48 respiradores chegou ao Salvador no início da tarde desta quinta-feira (21). Os equipamentos, que foram fabricados na China, chegaram ao Aeroporto Internacional de Salvador em um voo comercial da Latam e serão usados na montagem de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) em Salvador e também no interior da Bahia. A carga chegou à capital baiana menos de 24 horas após o desembarque de outros 159 respiradores, que chegaram na noite de quarta-feira (20).

Os equipamentos da primeira carga foram encaminhados para a montagem de leitos de UTI nas cidades de Salvador, Ilhéus, Vitória da Conquista, Porto Seguro, Juazeiro, Jequié e Irecê. Os primeiros foram enviados, ainda na manhã desta quinta, para o hospital de campanha montado na área externoa do Hospital do Subúrbio, em Salvador. Segundo o governo do estado, com a chegada destes mais de 200 respiradores, ja será possível abrir novos leitos de UTI no estado.

“Nós estamos garantindo que todas as regiões do estado terão leitos de UTI disponíveis. Neste momento, a maior pressão está sobre Salvador e a região de Jequié. Aqui em Salvador serão abertos novos leitos no Hospital Espanhol, no Couto Maia, na Fonte Nova e no Hospital do Subúrbio”, disse o governador, Rui Costa (PT). Outros 350 respiradores também sao aguardados.

O secretário estadual da Saúde, Fábio Vilas-Boas, foi acompanhar de perto a chegada do material no Aeroporto de Salvador, no início da tarde desta quinta-feira.

“Duas pessoas podem usar um respirador durante um mês e isso pode significar a preservação de, pelo menos, 96 vidas. Não descansaremos até que todos os respiradores necessários para abrir os mais de 600 leitos de UTI previstos nas ações de combate à pandemia”, afirmou.

Essas máquinas serão utilizadas na abertura de leitos nos centros exclusivos de tratamento da covid-19 montados pelo Estado em Salvador, na Arena Fonte Nova, Couto Maia e nos hospitais Ernesto Simões e do Subúrbio e também em unidades hospitalares do interior, a exemplo do Hospital do Oeste, em Barreiras, e Costa do Cacau, em Ilhéus, além de outras unidades contratadas pelo governo baiano em todo o território estadual.

Fonte: Correio