Trecho de balaustrada desaba na Ladeira da Barra e poste fica 'pendurado'

Um trecho de aproximadamente cinco metros de balaustrada e calçamento na Ladeira da Barra, em Salvador, desabou na noite desta quinta-feira (21), deixando um poste praticamente pendurado. A calçada cedeu, não chegando a provocar danos na pista, e vários escombros caíram sobre o estacionamento do Yacht Clube. Ninguém ficou ferido. 

Equipes da Defesa Civil de Salvador (Codesal) foram enviadas ao local para analisar a situação. A área, que fica próxima ao antigo Cemitério dos Ingleses, já foi isolada. 

Funcionários da Coelba também foram enviados para avaliar os riscos “onde o poste foi arrastado, após erosão de terra”. “No momento, não há interrupção de energia, mas será necessário desligar um trecho da rede para a realização do serviço com segurança”, informou a concessionária ao CORREIO.

A interrupção da energia na área próxima ocorreu pouco antes das 22h30 e não há previsão de retorno, segundo prepostos da empresa.

Ao que tudo indica, o incidente tem relação com a chuva que cai na cidade desde as primeiras horas do dia. Até as 17h, a Codesal já havia recebido 350 solicitações, com seis desabamentos de imóveis, quatro desabamentos de muro, nove desabamentos parciais, 100 deslizamentos de terra, um destelhamento, 22 infiltrações, três orientações técnicas e um poste ameaçando cair.

Além disso, houve 23 notificações de alagamentos de imóveis, um alagamento de área, 69 ameaças de desabamento, duas ameças de desabamento de muro, 64 ameaças de deslizamento, 12 árvores ameaçando cair, quatro árvores caídas, três avaliações de área, 26 avaliações de imóveis alagados. 

Previsão do tempo
A previsão para esta sexta-feira (22) é de céu nublado a parcialmente nublado com chuvas fracas a moderadas ao longo do dia, acompanhadas de rajadas de ventos. 

Há risco para alagamentos e deslizamentos de terra. 
Segundo o Centro de Monitoramento e Alerta da Defesa Civil (Cemadec) as chuvas do período ocorrem devido a frente fria sobre a região do Recôncavo baiano. 

Fonte: Correio