Secretário de vigilância do Ministério da Saúde afirma que deixará cargo na 2ª

O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson de Oliveira, disse que deixará o cargo nesta segunda-feira, 25. A informação é do portal G1.

Defensor do isolamento social para conter o avanço do novo coronavírus, Oliveira passou a ser um dos rostos mais conhecidos do enfrentamento à pandemia devido as aparições diárias nas entrevistas coletivas sobre a situação do país em relação à Covid-19.

Ele chegou a pedir demissão no dia 15 de abril, dias antes da saída do ex-minsitro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. O ex-ministro pediu que ele ficasse.

Em mensagem enviada à equipe, Wanderson Oliveira disse que sua saída já havia sido definida em 15 de abril, mas que continuou no cargo a pedido de Mandetta e do também ex-ministro Nelson Teich. Agora, ele acertou sua saída com o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello

“Apesar de sair da função de Secretário de Vigilância em Saúde, continuarei ajudando ao Ministro Pazuello nas ações de resposta à pandemia. Somos da mesma instituição, Ministério da Defesa e conosco é missão dada, missão cumprida”, disse Wanderson, segundo o G1.

Ele é doutor em epidemiologia e passou 15 dos mais de 20 anos de sua carreira no Ministério da Saúde. Antes do novo coronavírus, ele coordenou a resposta do país à síndrome da zika congênita e à pandemia de influenza.

Wanderson Oliveira é servidor federal do Hospital das Forças Armadas, em Brasília. Ele se reapresentará à instituição.

Fonte: Agencia Brasil