Brasil é o país que tem mais medo da volta às aulas e ao trabalho, diz pesquisa

O modo como o Brasil tem encarado a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) causa efeitos quando os brasileiros são perguntados sobre o conforto em retornar às aulas e ao trabalho. A Ipsos, empresa de pesquisa de mercado independente ouviu 16 mil adultos de 16 países, sendo 1.000 brasileiros, e sete em cada dez (68%) no país afirmaram que não querem voltar aos locais de trabalho nas próximas semanas, sendo que 48% dizem que não se sentiriam confortáveis e 20% afirmam categoricamente que não voltariam a trabalhar no período proposto.

Esse trabalho realizado on-line foi o 12º do gênero feito pela empresa, sob o título “Tracking the Coronavirus”, o que poderia ser traduzido como “Seguindo o Coronavírus”.

Esses números colocal o Brasil no topo da lista de resistência de retorno ao trabalho normalmente, com a Espanha em segundo, com 56% e a África do Sul em terceiro, com 53%. Do outro lado da tabela aparece a Coreia do Sul, com somente 18% dos pesquisados com algum tipo de receio, seguida de Austrália (29%) e China (35%).

Quando o assunto é a volta às aulas, mais uma vez os brasileiros lideram a lista de receio, com 85% afirmando que não se sentiriam confortáveis em permitir o retorno `s aulas dos filhos nas próximas semanas. Desse total, 44% se mostram irredutíveis quanto a essa possibilidade.

Coincidetemente, Espanha e África do Sul aparecem novamente, com 80% de resistência, cada, à frene de Canadá e Itália, que acumulam 78% de rejeição da ideia.

A pesquisa, que é realizada semanalmente, foi feita entre os dias 7 e 10 de maio e tem margem de erro de 3,5 pontos percentuais.

Fonte: Agencia Brasil