'Basta!': Juristas e artistas exigem fim das agressão de Bolsonaro a Poderes

Um manifesto assinado por personalidades das áreas de cultura, esporte, medicina, educação, política e do mundo corporativo, publicado nos jornais de grande circulação neste sábado (30), defende uma “administração pública reverente à Constituição”. A peça é um protesto aos ataques aos Poderes da República desferidos pelo presidente da República, embora não cite nominalmente Jair Bolsonaro.

“Somos a maioria e exigimos que nossos representantes e lideranças políticas exerçam com afinco e dignidade seu papel diante da devastadora crise sanitária, política e econômica que atravessa o país”, diz o texto, que é assinado, entre outros, pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso; o ex-ministro Luiz Carlos Bresser Pereira; as atrizes Fernanda Montenegro, Malu Mader e Marieta Severo; os atores Antonio Fagundes, Gregorio Duvivier, Wagner Moura e Marco Nanini; os apresentadores Luciano Huck, Serginho Groissman e Marcelo Tas.

Também assinam o manifesto os escritores José Miguel Wisnick, Paulo Coelho e Maria Adelaide Amaral; o médico Drauzio Varella; os ex-jogadores Raí e Walter Casagrande; os deputados Tabata Amaral, Jean Willys, Luiz Erundina e Marcelo Freixo; o filósofo Renato Janine Ribeiro; os cantores Lobão, João Bosco, Chico César, Zélia Duncan e Tony Belloto.

O manifesto pede união de partidos, com seus líderes e candidatos, para um projeto comum de país, deixando de lado projetos individuais, para formar uma frente ampla que responda de forma “madura” e “eficaz” aos “crimes e desmandos de qualquer governo”.

Juristas
Na mesma linha, um outro manifesto, assinado por mais de 600 juristas e intitulado “Basta!”, afirma que o presidente “agride de todas as formas os Poderes constitucionais das unidades da Federação, empenhados todos em salvar vidas. Descumpre leis e decisões judiciais diuturnamente porque, afinal, se intitula a própria Constituição”.

Os assinantes afirmam ainda que o Brasil “é jogado ao precipício de uma crise política quando já imerso no abismo de uma pandemia que encontra no Brasil seu ambiente mais favorável, mercê de uma ação genocida do presidente da República”.

“Todos nós acreditamos que é preciso dar um BASTA a esta noite de terror com que se está pretendendo cobrir este país. Não nos omitiremos. E temos a certeza de que os Poderes da República não se ausentarão”, diz o texto.

Entre os que firmaram o manifesto estão Antonio Claudio Mariz de Oliveira, Miguel Reale Júnior, Celso Lafer, Claudio Lembo, Joaquim Falcão, Fábio Konder Comparato, Pierpaolo Bottini, Dalmo de Abreu Dallari, Felipe Santa Cruz e José Gregori.

Fonte: Correio