Curso online irá ajudar projetos sociais a captarem recursos

Manter um projeto social, muitas vezes, é uma tarefa complicada. Além de tentar contribuir para resolver alguma questão social ou ambiental, é preciso pensar sempre na parte financeira – afinal, não dá para desenvolver um bom trabalho e não ter recursos para fazer isso. Em tempos de crise gerada por causa da pandemia do novo coronavírus, essa missão pode se tornar ainda mais complicada.

Pensando nisso, a plataforma social Atados promoverá, na próxima quarta-feira (10), das 14h30 às 17h30, o curso Como Captar Recursos para Projetos Sociais. A iniciativa será gratuita e acontecerá de forma online, através de videoconferência pelo aplicativo Zoom.

A oficina terá palestra de Inaiá Costa Simões, especialista na área de Captação de Recursos e sócia diretora da Casa dos Sete – Projetos e Produções, além de apoio e mediação de instituições como o Parque Social.

“É muito importante que os projetos sociais saibam como conquistar parceiros. E também é essencial que entendam os caminhos estratégicos mais viáveis para conseguir apoio e, com isso, recursos”, afirmou a presidente de honra do Parque Social, Rosário Magalhães.

Para participar do curso, é preciso se inscrever no link forms.gle/MRVaQJKrdRtwyfMs6, preenchendo formulário com dados pessoais. Após o cadastro, o interessado receberá o endereço eletrônico de acesso da sala virtual. O Zoom pode ser acessado pelos usuários diretamente pelo computador ou por um smartphone, sem a necessidade de instalação de um software.

Durante o curso, serão abordados os temas: Como captar recursos através de editais públicos e privados; Como captar recursos através de campanhas de doação; e Planejamento estratégico e empreendedorismo na captação de recursos. Após a palestra, os participantes poderão tirar dúvidas e compartilhar experiências. Além do Parque Social e da Casa dos Sete, são parceiros mediadores Solidareasy e Ser.

Segundo Randerson Almeida, mediador do curso e coordenador da IN PACTO – Incubadora de Negócios Sociais, cuja gestão é do Parque Social em parceria com a Prefeitura Municipal do Salvador, os empreendedores sociais devem ficar de olho em vários formatos de captação de recursos.

“É preciso estar atento para as diversas oportunidades que este segmento pode se beneficiar, como o financiamento coletivo e editais de fomento”, disse.

Para Maiana Brandão, coordenadora do Programa Agente de Empreendedorismo, tecnologia desenvolvida pelo Parque Social, para a instituição participar dessas ações significa potencializar o trabalho que já é desenvolvido ao longo de 7 anos.

“Sabemos que muitas associações e pequenos projetos sociais sofrem com a falta de verba e muitos dependem de doações, esse curso é o primeiro passo para gerar autonomia para essas instituições, fazendo com que os projetos se tornem sustentáveis o que dialoga muito com a missão do Parque Social”, comentou Maiana, que também é uma das mediadoras do curso.

Fonte: Correio