Quem é Carlos Wizard, cotado para assumir cargo no Ministério da Saúde

Convidado pelo ministro da Saúde interino, general Eduardo Pazuello, a assumir a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Carlos Wizard Martins é um empresário brasileiro, de 63 anos, casado e ocom três filhos, que é dono de várias redes de franquias no Brasil, entre elas: Mundo Verde, Pizza Hut, KFC e Taco Bell.

A amizade Carlos Wizard e Pazuello surgiu em 2018, quando ele se mudou de São Paulo para Boa Vista, em Roraima, na fronteira com a Venezuela, para cumprir mais uma missão humanitária da igreja mórmon junto aos venezuelanos refugiados. Os dois se conheceram na então Operação Acolhida do governo, chefiada pelo general, agora ministro da saúde.

 
 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Passei quase dois anos em Roraima atuando ao lado do general Eduardo Pazuello, atual Ministro da Saúde. Ontem fui nomeado por ele como Conselheiro de Assuntos Estratégicos do Ministério da Saúde. Atuaremos juntos no combate ao Covid-19. Aceitei a nomeação com um pedido: atuarei na condição pro bono, isso é, sem remuneração.

A post shared by ᴄᴀʀʟᴏs ᴡɪᴢᴀʀᴅ ᴍᴀʀᴛɪɴs (@carloswizardmartins) on May 21, 2020 at 3:57am PDT

Atual denfesor da cloroquina como tratamento para Covid-19 e que deseja recontar o número de mortos pelo novo coronavírus no Brasil por achar as estatísticas “fantasiosas”, Wizard é natural de Curitiba, no Paraná, onde viveu até a adolescência. Influenciado pelos pais, tornou-se missionário da igreja mórmon aos 12 anos, passando pelos EUA e Europa com trabalhos voluntários. 

Estudou nos EUA

Antes de se tornar empresário, Carlos Wizard estudou na Universidade Brigham Young (BYU), em Utah, nos Estados Unidos, ligada à igreja que fazia parte e formou-se em Ciência da Computação e Estatística pela BYU. De volta ao Brasil, deu aulas de inglês e depois fundou a escola de idiomas Wizard que, mais tarde, se tornaria uma rede de franquias.

Em 2013, Wizar se tornou bilionário ao vender por R$ 2 bilhões o Grupo Multi composto pelas escolas de idiomas Wizard, Yázigi, Skill Idiomas, Quatrum English Schools, Microlins, SOS Educação Profissional, People computação, Smartz School, Bit Company, Alps, Worktek e Meuingles.com, ao grupo britânico Pearson PLC. Naquela época, a maior negociação da história do setor de educação já realizada no país.

Empresário, escritor e palestrante

Um ano depois, em 2014, ele comprou a rede de produtos naturais Mundo Verde, a maior do segmento na América Latina. Foi quando entrou para lista da revista Forbes como um dos homens mais ricos do Brasi.

Em 2016, trouxe a famosa rede de comida mexicana dos EUA Taco Bell ao Brasil – que só tem lojas em SP -, além de se tornar donos das famosas marcas de vestuário e calçados Topper e Rainha no país.

Há três anos, ao lado dos filhos, criou a empresa de cosméticos Aloha Oils, além de voltar ao mercado educacional comprando 35% da escola de idiomas Wise Up. 

 
 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Meu filho Nicholas convive com o autismo desde que foi diagnosticado com o TEA (Transtorno do Espectro Autista) na infância. Hoje ele é um adulto autônomo graças ao apoio e orientação profissional que recebeu. Ao verificar o número crescente de refugiados que chegam a Roraima com filhos autistas, criei um grupo de apoio a essas crianças de grande valor. #Autismo #NiñosdeValor https://www.faroldabahia.com.br/noticia/empresario-carlos-wizard-cria-grupo-de-apoio-a-refugiados-autistas

A post shared by ᴄᴀʀʟᴏs ᴡɪᴢᴀʀᴅ ᴍᴀʀᴛɪɴs (@carloswizardmartins) on Jan 22, 2020 at 9:18am PST

 

Filiado ao PSDB de Doria

Como revela as redes sociais do empresário, Carlos Wizard também atua como escritor e palestrante motivacional. É autor dos livros como “Vencendo a Própria Crise, O Desejo de Vencer, Desperte o Milionário que há em Você e  “Do Zero ao Milhão”, um best seller.

Hoje, ele vive em Campinas (SP), com a família. Filiado desde abril ao PSDB de João Doria, governador de São Paulo, e atual desafeto de Bolsonaro, Wizard chegou a ser assediado por partidos políticos como PSD e pelos próprios tucanos a tentar uma candidatura à prefeitura da cidade, convite que não foi aceito.

Polêmicas dos mórmons

Entre as críticas históricas à igreja mórmon, fundada em século 19 nos Estados Unidos, está a poligamia masculina ou casamento plural (como eles definem), que autoriza um homem a ser casado com mais de uma mulher. Tal prática é desaconselhada pela igreja nos tempos atuais.

Outras polêmicas envolvem a proibição da homossexualidade prevista no Livro de Mórmon, além do racismo. Apesar de ter 185 anos de existência, faz apenas 37 anos que os mórmons permitem que negros sejam membros ativos da chamada Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

Fonte: Agencia Brasil