Com 20 leitos de UTI, hospital de campanha é inaugurado em Teixeira de Freitas

O Hospital de Campanha destinado a pacientes com a Covid-19 de Teixeira de Freitas, no extremo-sul na Bahia, foi inaugurado neste sábado (13). A unidade, que terá 20 leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e ocupa uma área de 450 metros quadrados ao lado do Hospital Municipal, deve passar por uma desinfecção terminal durante o final de semana e começar a receber pacientes na segunda-feira (15).

A construção do hospital foi viabilizada por uma parceria entre o governo da Bahia, que equipou a unidade, e as empresas Suzano e Veracel Celulose, que investiram mais de R$ 1,3 milhão na construção e montagem da estrutura.

“O extremo-sul da Bahia é hoje a região que possui a maior taxa média de crescimento de casos de covid-19, portanto, a oferta desses leitos vai ser fundamental para fazer frente à necessidade de internação hospitalar. Esses leitos vão se juntar aos que vamos abrir em Porto Seguro e Eunápolis. Dessa forma, conseguiremos ampliar rapidamente a oferta de leitos de terapia intensiva na região”, disse o secretário estadual da Saúde, Fábio Vilas-Boas, que esteve na inauguração.

O hospital foi construído a partir contêineres climatizados e está incluído nas ações para ofertar assistência de qualidade à população nesse momento de pandemia. Na região, além do novo hospital, duas Unidades de Pronto Atendimento 24h (UPAs 24h), uma em Teixeira de Freitas e outra no município de Prado, estão destinadas ao atendimento de pacientes com o novo coronavírus e receberam investimento do governo do estado para a sua reabertura.

“A Suzano entende que é preciso unir forças para salvar vidas neste momento, e a construção do Hospital de Campanha de Teixeira de Freitas é resultado desse esforço conjunto”, afirmou o diretor executivo de Relações e Gestão Legal da empresa, Pablo Machado. 

O diretor presidente da Veracel Celulose, Andreas Birmoser, também comentou as ações. “A Veracel tem atuado em conjunto com a Suzano e outras empresas, autoridades, universidades, movimentos populares e organizações sociais para implementar medidas de combate à pandemia na região”, completou.

Fonte: Correio