Postos de drive-thru da vacinação gripe terão novo horário de funcionamento a partir de segunda (15)

Os postos de drive-thru da vacinação contra a gripe em Salvador terão horário alterado. A partir de segunda-feira (15), os serviços disponibilizados no 5° Centro de Saúde, no Vale dos Barris; nos campi do Cabula e de Brotas da Faculdade Baiana de Medicina, além do Atakadão Atakarejo de Fazenda Coutos, vão funcionar em regime de turnão, das 8h às 14h. O drive-thru da Arena Fonte Nova, por sua vez, será desativado.

A vacinação ainda vai continuar em todas as 142 salas de vacina das unidades básicas da rede municipal, de segunda à sexta-feira, exceto feriados, das 8h às 17h. Desde o início da estratégia com a campanha, no dia 23 de março, pouco mais de 513 mil pessoas foram imunizadas na cidade.

Os grupos com menor adesão à campanha incluem as crianças de seis meses a menores de 5 anos, que só tiveram cerca 30% dos pequenos protegidos nessa faixa etária. Além disso,   gestantes (48%) e puérperas (mulheres que tiveram filhos nos últimos 45 dias) tiveram apenas  68% da meta alcançada. Já os idosos e trabalhadores da saúde até ultrapassaram a meta de imunização, chegando a 120% e 103%, respectivamente.

Na terceira fase da campanha, foram incluídas pessoas com deficiência e crianças com idades entre seis meses e 5 anos, 11 meses e 29 dias. Também fazem parte da lista os professores das escolas públicas e privadas e os adultos de 55 a 59 anos.

Mesmo tendo sido de outra fase da campanha, idosos, trabalhadores de saúde, profissionais das forças de segurança e salvamento, portadores de doenças crônicas, funcionários do sistema prisional, caminhoneiros, motoristas e cobradores do transporte público, portuários, além de gestantes, puérperas (mães no pós-parto até 45 dias) e pessoas com deficiência que ainda não foram imunizados ainda podem ser vacinados pela campanha até o próximo dia 30.

“Os grupos que ainda não alcançaram a meta precisam comparecer o quanto antes a uma das unidades de saúde para se protegerem contra uma doença que pode levar a óbito. Isso porque, nesse período que se aproxima do inverno, as temperaturas tendem a baixar e a população alvo fica mais suscetível à contaminação”, alertou a coordenadora do Controle de Doenças Imunopreveníveis da Secretaria Municipal de Saúde, Doiane Lemos.
 

Fonte: Correio