'Ela é um milagre': idosa de 96 anos vence pneumonia, infecção e covid-19

(Foto: Acervo pessoal)

O corpo franzino e os cabelos branquinhos dão uma falsa impressão de fragilidade. Dona Zoraide Porto Magalhães pode até ser miudinha para quem olha despretensiosamente, mas é uma gigante. Hoje, após duas semanas presa em uma cama de hospital, ela renasceu.

Há duas semanas, no dia 5 de junho, a idosa de 96 anos deu entrada no Hospital Português prostrada, com febre, muita falta de ar e um sono incontrolável. Os sinais indicavam o que a família não queria ouvir, e a confirmação veio: era covid-19. 

Grupo de risco para a doença pela própria idade, dona Zoraide também ofertava riscos maiores por ser portadora de comorbidades como hipotireoidismo, depressão e demência leves. A idosa tinha uma dura batalha pela frente. Após um exame de imagem, ela descobriu que, com a infecção pelo novo coronavírus, ficou com grande comprometimento nos dois pulmões.

“Todo mundo ficou com muito medo quando confirmamos que era coronavírus, principalmente por causa da idade avançada. Ela ficou por um triz de ser entubada, mas conseguiu reagir, graças a Deus”, conta uma das netas da idosa, Mariana Magalhães, 32.

Como a família de dona Zoraide tem outros idosos e alguns adultos que também se contaminaram com o vírus, a idosa precisou ficar em um quarto na unidade de saúde na companhia de uma técnica de enfermagem. “A gente recebia notícias, fotos e falava com ela por telefone todos os dias, mas é difícil ficar longe”, admite a neta.

Com baixa oxigenação no sangue, a idosa teve pneumonia viral e infecção bacteriana. Tomou medicamentos e usou uma incômoda máscara de oxigênio. E ela venceu. Derrotou o medo dos familiares, contrariou as previsões médicas e deu a volta por cima, com direito a casaquinho colorido de tricô, balões coloridos e cartazes. Uma festa digna de um dia que precisa ser celebrado.

Dona Zoraide renasceu. Com ajuda de uma cadeira de rodas, atravessou o corredor do Hospital Português e foi ovacionada. Todos estavam ali para aplaudir a idosa de pé: enfermeiros, técnicos, médicos e familiares. Afinal, não é todo dia que a gente tem a sorte de ver um milagre diante dos nossos olhos.

“Foi muito emocionante. É um milagre ter minha avó viva, respirando bem, curada. Ela é a pessoa de maior fé que eu conheço, ela é o centro de fé da nossa família. Minha avó é muito devota de Nossa Senhora, então ela passou esse tempo inteiro de segurando na fé. Nós também entregamos na mão de Deus e acreditamos que tudo é no momento Dele. Foi muita fé a muita dedicação da equipe, ela foi cuidada por profissionais maravilhosos, somos só gratidão”, completou Mariana.

Hoje, a idosa respira bem, está com exames impecáveis e pronta para sua próxima festa, agendada para o dia 10 de agosto, quando completará 97 anos.

Fonte: Correio