Com o apoio de técnicos especializados e cientistas sociais, a Prefeitura de Salvador já definiu os protocolos que serão adotados, no momento certo, para a retomada das atividades de cada segmento do comércio ou indústria na capital baiana. 

Claro que estamos todos ansiosos para a chegada desse momento. Mas nunca é demais ressaltar que será preciso prudência no momento da retomada de nossas atividades. Vimos que Curitiba e Porto Alegre, por exemplo, foram obrigadas a incorporar regras mais rígidas poucos dias após terem afrouxado as medidas de restrição.

O fato é que cada cidade tem sua realidade e vive um estágio diferente da pandemia. Infelizmente fica inviabilizada a retomada das atividades em Salvador enquanto estivermos com os leitos públicos e privados de enfermarias e UTIs com 84% de ocupação. 

Entendemos e somos sensíveis à pressão que estamos sofrendo de diversos segmentos comerciais e industriais, mas temos convicção de que não vamos deixar cair por terra todos os esforços realizados até o momento. Vidas humanas ainda estão em jogo e dependem de cada decisão que será tomada.

Por isso, temos nos debruçado exaustivamente a analisar cada protocolo e cada atividade. A depender do cenário epidemiológico, vamos tomar as decisões corretas.

Os números de novos casos neste mês de junho ainda são alarmantes e vêm crescendo acima da média. O prefeito ACM Neto encaminhou, e a Câmara Municipal já aprovou, a prorrogação do auxílio emergencial por mais um mês (que poderá ser estendido até setembro), contemplando o segmento mais vulnerável da população:  trabalhadores do comércio informal, baianas de acarajés,  motoristas de táxi e de aplicativos, entre outros.

De mãos dadas, vamos encontrar os caminhos para que todos os segmentos do setor produtivo possam honrar seus compromissos e retomar suas atividades. Dessa forma poderemos, juntos, voltar a crescer acima da média nacional. Mas sabemos que, nesse processo de retomada, a recuperação de nossa economia será feita de forma gradual. Para tanto, já estamos finalizando um plano reestruturante, de isenções, estímulos e incentivos fiscais, que vai reaquecer a economia da cidade, gerando oportunidades de emprego e renda para a população. 

Desde o início da pandemia, o prefeito ACM Neto foi bastante cirúrgico na adoção de medidas parciais de isolamento social. Em maio passamos a adotar medidas restritivas regionalizadas nos bairros que vinham apresentando índices elevados de aglomeração. Realizamos mais de 50 mil testes rápidos e conseguimos identificar infectados que foram acolhidos e encaminhados para o devido isolamento, bloqueando a circulação do vírus. No último dia 17 de junho lançamos o programa Salvador Protege, que utiliza os recursos da telemedicina  para melhorar ainda mais a rede de atenção primária em nossa capital. Com esse programa, o médico entra remotamente em cada comunidade, cuidando da população mesmo em situações que não estejam ligadas à pandemia do coronavírus. Todas as nossas ações situam Salvador numa posição de destaque nacional no combate ao coronavírus. Estamos cuidando das pessoas e salvando vidas, isso é o que mais importa.

*Bruno Reis é vice-prefeito de Salvador

Fonte: Correio