Uma mulher de 42 anos que se dizia “serva de Deus” foi presa no último domingo (28) após agredir o funcionário de uma agência de viagens por ser homossexual, além de destruir seu posto de trabalho usando uma barra de ferro. Além do crime de homofobia, ela ainda vai responder por ameaça, dano, injúria mediante preconceito, lesão corporal e tráfico de influência.

O fato ocorreu no Terminal Rodoviário de Lucas do Rio Verde, distante 360 km de Cuiabá, no Mato Grosso, e foi filmado por outras pessoas que estavam no local. Nas imagens, a mulher segura o funcionário da empresa pelo colarinho, rasgando sua camisa, enquanto o ofende com palavras como “veadinho, bicha, odeio veado e veado não entra no céu”, além de outros diversos comentários homofóbicos. e até o ameaça de morte pelo fato de ser homossexual.

A agressora se diz “serva de Deus” e a todo momento constrange e questiona a opção do funcionário, que tenta se desvencilhar e afirma que não irá agredi-la. As imagens duram mais de dois minutos.

Já na presença dos policiais, a vítima explicou que a mulher foi até seu posto de trabalho comprar uma passagem, porém, sem respeitar o distanciamento recomendado na prevenção da propagação do novo coronavírus (Covid-19). A partir do pedido do funcionário, ela teria iniciado o ataque flagrado por outros passageiros.

Fonte: Agencia Brasil