Morre baiana Martha Rocha, a primeira Miss Brasil da história, aos 83 anos

A soteropolitana e primeira Miss Brasil da história, Martha Rocha, morreu aos 83 anos em Niterói, no Rio de Janeiro, neste sábado (4). A causa da morte, segundo Álvaro Piano, um de seus três filhos, foi insuficiência respiratória, seguida de um infarto. O enterro aconteceu na manhã deste domingo (5), no Cemitério do Santíssimo Sacramento.

A eleição de Martha aconteceu na primeira edição do concurso, em 1954, quando tinha apenas 18 anos. O evento aconteceu no Hotel Quitandinha, em Petrópolis, na região serrana do Rio. Em seguida, disputou o prêmio de Miss Universo e conseguiu a segunda colocação na disputa. 

Perdeu para a americana Miriam Stevenson, e logo depois da competição um boato circulou que a derrota teria sido por duas polegadas na medida do quadril, mas a própria Martha desmentiu o fato. Vale ressaltar que, além da baiana, apenas outras sete brasileiras alcançaram o top três do concurso mundial em toda a história. 

Ao portal G1, Álvaro lembrou dos últimos anos de vida da mãe: “A vida dela foi muito sofrida nos últimos anos, ela estava acamada há muito tempo e não conseguia andar. Morreu sem muito sofrimento. Ela já estava cansada. Rodeado de pessoas que cuidavam dela. Esses últimos meses a gente só se falava através de contatos telefônicos. Sinto falta da minha mãe, mas ela descansou”, disse.

Além de Álvaro, ela também teve Carlos Alberto Piano, filhos que são fruto do relacionamento dela com um banqueiro português, também chamado Álvaro Piano, que morreu em um acidente de avião. Após um tempo na europa, retornou ao Brasil com 23 anos, e se casou com Ronaldo Xavier de Lima, com quem teve sua caçula, a artista plástica Cláudia Xavier de Lima. 

Décadas depois, em 1995, Martha alegou que perdeu todo o seu dinheiro para o irmão de seu marido falecido, Jorge Piano. No ano passado, fez uma postagem onde dizia que, depois da fuga do ex-cunhado com o dinheiro, “superei meus problemas com suporte de meus dois filhos, duas amigas e o meu trabalho honrado, vendendo os quadros pintados por mim, e ganhando cachê para divulgar o concurso Miss Brasil”. 

O filho Álvaro contou das lembranças que ficarão da mãe. “Fica na memória uma pessoa que, apesar da fama toda, ela era super simples, brincalhona, moleca. Adorava natureza, planta e os animais, amiga de todos. Viveu 12 anos em Volta Redonda [onde morava em um lar de idosos, como foi revelado pela própria Martha] perto do meu irmão. Saiu de lá porque a saúde dela começou a se deteriorar. Trouxe ela para Niterói há 6 anos”, comentou.

Fonte: Correio