Gregore garante 'cabeça boa' no Bahia diante de especulações

Diante dos prejuízos financeiros causados pela pandemia do novo coronavírus, o Bahia não esconde que precisou refazer o planejamento para “sobreviver” durante a temporada 2020.

As mudanças passam pela renegociação de contratos, redução salarial, campanha para manter os sócios adimplentes e a venda de atletas.

Neste último ponto, o tricolor aguarda propostas que sejam interessantes e um dos ativos com maior potencial de venda é o volante Gregore. As boas atuações do jogador nos últimos dois anos chamaram a atenção de clubes do Brasil e do exterior.

No início da temporada, o Bahia chegou a recusar oferta de cerca de R$ 17 milhões do Seattle Sounders, dos Estados Unidos, pelo jogador. Naquele momento, o clube esperava uma maior valorização do atleta, enquanto o staff de Gregore não enxergou com bons olhos a ida para o futebol americano.

Já nos últimos meses da pandemia, o nome de Gregore voltou a circular em algumas equipes, mas nada se concretizou.

As especulações, no entanto, não têm mexido com a cabeça do jogador. Pelo menos é o que afirma o próprio volante. O camisa 26 garante que está com a cabeça boa e focado para seguir jogando bem pelo Bahia.

“A única proposta concreta que chegou para mim e o clube foi a dos Estados Unidos, as outras não passaram de sondagens. Isso não mexeu com a minha cabeça, não me atrapalhou, sigo focado no clube e querendo conquistar coisas grandes”, disse o volante.

“Gregore segue confiante, querendo conquistar coisas grandes no clube, tenho as minhas metas pessoais e coletivas também e sigo com a cabeça muito boa aqui no Bahia”, continuou ele.

De volta ao convívio diário com os companheiros, Gregore avaliou como positivo o período de treinos em casa e disse que o retorno às atividades na Cidade Tricolor está sendo melhor do que quando os jogadores voltam das férias no início de temporada.

“Deu para perceber que a maioria do elenco conseguiu se manter bem fisicamente em casa, é uma preocupação a menos para a comissão técnica. É uma avaliação boa voltar a treinar com o elenco, ter o contato com os companheiros. Agora é voltar a pegar o entrosamento que a gente tinha no começo do ano para conseguir ir atrás dos triunfos”, analisou.

Questionado sobre as vantagens e desvantagens que o Bahia pode ter ao longo da temporada diante de equipes que já voltaram a disputar competições, como os clubes do Rio de Janeiro, ele explica que o elenco pode sentir no início, mas que isso não pode ser usado como desculpa.

“Eles podem sair na frente em questão de ritmo de jogo porque jogaram primeiro que a gente, mas isso não pode ser uma desculpa. Quando voltar os jogos temos que estar focados para duelar de igual para igual”, disse.

Retomada
Nos últimos dias o Bahia ganhou um norte sobre quando vai entrar em campo novamente. Mesmo diante da pandemia, a CBF confirmou o início do Campeonato Brasileiro para o próximo dia 8 de agosto.

O Esquadrão aguarda ainda a definição sobre o Campeonato Baiano e a Copa do Nordeste. A expectativa é de que as duas competições voltem a ser disputadas ainda no mês de julho. Ao CORREIO, o presidente da Federação Bahiana de Futebol, Ricardo Lima, confirmou que tem mantido conversas com os clubes e autoridades de sanitárias para o retorno do estadual.

Na mesma tomada, a Copa do Nordeste uma cidade para ser sede única da reta final da competição e Salvador aparece como forte candidata a receber o torneio.

Fonte: Correio