Estudantes da Apae recebem 230 cestas básicas doadas em Salvador

A pandemia do novo coronavírus que obrigou as pessoas a ficaram em casa impôs uma dificuldade a mais para as instituições filantrópicas. A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), por exemplo, registrou queda de 50% na receita e, por isso, inciou uma campanha de arrecadação de alimentos para ajudar as famílias assistidas pela instituição. Nesta quinta-feira (9), a prefeitura entregou 230 cestas básicas e 223 kits de higiene para serem entregues às famílias que são assistidas pela entidade.  

Os alimentos foram entregues pelo prefeito ACM Neto na sede da Apae, no bairro de Água de Meninos. Durante a ação o gestor disse que a prefeitura tem distribuído cerca de 200 mil cestas básicas todos os meses, desde o início da pandemia, em março. Neto também afirmou que as ações vão continuar enquanto durar a pandemia.

“Quando concebemos esse serviço de apoio para pessoas com deficiência para o Subúrbio, de imediato decidimos chamar a Apae para ser nossa parceira. A Apae faz a gestão, oferece os profissionais, leva todo seu conhecimento, seu know how, para a assistência a tantas e tantas pessoas daquela região do Subúrbio”, afirmou o prefeito.

“Agora nesse período da pandemia, logo no começo decidimos que as instituições que dão assistência a pessoas com deficiência seriam olhadas com atenção, teríamos uma parceria especial com essas instituições. Por esse motivo decidimos oferecer cestas básicas e kits de higiene a diversas instituições. Já são 53 organizações sociais contempladas”, acrescenta.

As cestas incluem pacotes de alimentos como arroz, feijão, macarrão, entre outros, além dos produtos de limpeza. A doação das cestas básicas e dos kits de higiene para instituições sociais é coordenada pela Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre). 

A instituição é conveniada à Sempre para a oferta de serviços socioassistenciais de média complexidade a 230 usuários, formados por crianças e adolescentes com deficiência intelectual e múltipla, de 2 a 16 anos. Dentre as ações desenvolvidas estão o atendimento psicológico, aula de capoeira, de inclusão digital, oficina de educação e direitos humanos. 

A entidade conta ainda com assistente social, pedagogo, psicólogo, psicopedagogo, professor de educação física, auxiliar de classe e terapeuta ocupacional.

No mês passado foram doadas 250 cestas básicas para a Associação de Amigos do Autista da Bahia (AMA), cada uma delas tem 18 itens, além de produtos de higiene. Elas foram destinadas às 250 pessoas que são atendidas pela instituição. Os pacientes têm de 2 a 37 anos.

Fonte: Correio