Covas assina protocolo e confirma abertura de academias a partir de segunda

As academias poderão reabrir em São Paulo a partir de segunda-feira com um limite de 30% da capacidade e restrição de entrada, mediante agendamento prévio dos alunos e com um limite de abertura de seis horas por dia. O prefeito Bruno Covas (PSDB) assinou na tarde desta sexta-feira, 10, um protocolo de entendimentos em que entidades que representam o setor se comprometem a seguir regras de segurança para evitar a propagação do coronavírus. 

“Segunda-feira, vamos perder esse pneuzinho aí, heim”, disse Covas, em uma fala rápida durante a cerimônia de assinatura dos protocolo de segurança do setor, se dirigindo ao presidente da Câmara Municipal, Eduardo Tuma (PSDB), que participou da cerimônia. 

Aulas em grupo continuam suspensas e haverá restrição para o uso de bebedouros e vestiários, que devem ter banheiros abertos mas os chuveiros fechados. Os alunos terão de levar suas próprias garrafas de água e demais materiais de higiene, como toalhas. Os equipamentos, como pesos e aparelhos de musculação, terão de ser higienizados no mínimo a cada duas horas mas, preferencialmente, a cada troca de aluno. 

Mesmo atividade ao ar livre, como corridas, terão de ser feitas de forma individual. Instrutores terão de pedir que os alunos levem suas próprias garrafinhas. 

A Prefeitura ficou de divulgar mais detalhes sobre essa operação até o fim da tarde desta sexta, o que não ocorreu. As regras devem ser publicadas no Diário Oficial da Cidade deste sábado, 11.

Uma das justificativas para a reabertura das academias foi o papel que esses estabelecimentos têm na promoção da saúde pública. Após o governo do Estado informar que iria liberar as academias, cresceu a pressão para que os parques da cidade também fossem liberados – e a autorização para que eles também reabrissem se deu nesta quinta-feira, 9.

“O setor de academias, como todos sabem, estava previsto (para ser liberado) na fase 4 (do plano de reabertura econômica do Estado, o Plano São Paulo) e, recentemente, o governo do Estado antecipou, de forma mais criteriosa, com muito mais regras do que o previsto inicialmente, com apenas 30% da capacidade, e rapidamente nós conseguimos, nessa semana, conversar com a vigilância sanitária para poder assinar esse protocolo”, disse o prefeito. 

Covas disse que a cidade está passando pelo processo de reabertura “sem até agora repetir os erros que a gente tem visto mundo afora de cidades que tiveram processo de flexibilização e, alguns dias depois, tiveram de retroceder, e voltar a fechar, voltar a decretar lockdown”.

As regras são uma determinação do governo do Estado, e valem para todas as cidades que estão na fase 3, amarela, do Plano São Paulo. 

Fonte: Agencia Brasil