MP pede conclusão de inquérito que investiga assassinato envolvendo Queiroz e Adriano

O ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz, e Adriano da Nóbrega, miliciano morto na Bahia, são investigados há 17 anos em inquérito que apura uma execução quando eles eram PMs no Rio de Janeiro, segundo reportagem do Fantástico neste domingo (12).

De acordo com a reportagem, os dois mataram um homem suspeito de tráfico na Cidade de Deus. Queiroz e Adriano alegaram legítima defesa na época do crime, em 2003. Anderson Rosa de Souza foi morto na Cidade de Deus depois de ser atingido por três tiros de fuzil. As armas utilizadas pelos dois na operação policial e as balas nunca foram periciadas. O caso foi registrado como auto de resistência.

O inquérito que apura o envolvimento de Queiroz e Adriano foi interrompido diversos vezes e pode perder a validade em três anos. O Ministério Público do Rio determinou, na semana passada, que a apuração seja concluída em 90 dias. 

Fonte: Correio