Bolsonaro: Amazônia não pega fogo porque ‘é úmida’ e 'índio provoca incêndio'

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez diversas declarações acalouradas contra as políticas de proteção ambiental e a pressão internacional de que o Brasil redobre cuidados com a Amazônia em transmissão ao-vivo nesta quinta-feira (16). 

Dentre as afirmações, o chefe do Executivo voltou a dizer que a floresta símbolo do país “não pega fogo” porque “é úmida”: “o que pega fogo é periferia”, completou. 

O presidente criticou o decreto que proibe queimadas por 120 dias na Amazônia, assinado por ele, e alegou que o Brasil sofre acusações injustas em relação às políticas de meio ambiente. 

“Somos o tempo todo acusados injustamente de maltratar o meio ambiente do Brasil. A imprensa lá fora criticando o Brasil, imprensa que fraudou números para criticar o governo, fica ameaçando o tempo todo; 90% desses focos de calor são em áreas desmatadas. Não é novo incêndio. E 5% são em terras indígenas, o índio que faz isso”, defendeu.

As acusações do presidente, porém, não se restringiram às periferias, aos povos indígenas, ou à imprensa. Bolsonaro elevou o tom das críticas que vem fazendo à Europa e afirmou que o continente é “uma seita ambiental”, enquanto o Brasil é “potência no agronegócio”. 

“Não preservaram nada e atiram em cima de nós o tempo todo de forma injusta, é uma briga comercial. Há interesse em todo o Brasil, somos bombardeados 24 horas por dia. Parte da mídia aproveita o momento para criticar o governo, como se anteriores estivesse uma maravilha a questão ambiental no Brasil”, concluiu o chefe do Executivo.

 

Fonte: Agencia Brasil