Suspeito morre em troca de tiros após polícia ocupar Engenho Velho da Federação

Um homem foi morto e outro acabou preso na noite de quarta-feira (15), após confronto com a polícia no primeiro dia de ocupação do bairro Engenho Velho da Federação. Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que equipes da Companhia de Patrulhamento Tático Móvel (Patamo) incursionavam pelas Ruas São Romão e da Caveira, na Lajinha, quando avistaram homens armados. No momento do cerco houve confronto e um criminoso acabou ferido. Ele foi socorrido para o Hospital Geral do Estado (HGE), mas não resistiu. 

Outro traficante entrou numa casa, mas terminou preso em flagrante. Segundo a polícia, o criminoso jogou porções de drogas na varanda de outro imóvel, mas os PMs perceberam. Os policiais do Batalhão de Choque (BPChq) apreenderam ainda arma, munições e dinheiro no local.Foi um revólver calibre 38, munições, R$ 1 mil em espécie, 12 porções de cocaína e uma de maconha. O caso foi registrado na Central de Flagrantes.

Por volta das 6h de quarta-feira (15), policiais militares ocuparam o Engenho Velho da Federação. Um helicóptero da PM circulava por toda a região enquanto grupos de policiais, alguns com cães, subiam e desciam os becos e viaturas estavam posicionadas na comunidade do Forno. 

Batalhão de Choque, Grupamento Aéreo (Graer) e Esquadrão Águia reforçam, por tempo indeterminado, as ações preventivas e ostensivas no bairro. Segundo a PM, a medida tem como objetivo dar sequência no combate ao tráfico de drogas, em regiões que apresentam disputas por território e sucessivos confrontos com forças de segurança.

Também no primeiro dia de ocupação, moradores começaram a fazer deúncias à polícia de pontos de vendas de drogas na região. As informações foram enviadas através do Disque Denúncia da SSP (3235-0000) e checadas, na tarde de quarta-feira (15), por equipes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil.

Os informes relatavam casas usadas por traficantes e pontos de venda de drogas, nas localidades da Baixa da Égua e Forno. A região foi ocupada, no período da manhã, por unidades especializadas da Polícia Militar. Em um imóvel, a mãe de um adolescente de 14 anos, envolvido com tráfico de drogas e suspeito de homicídios informou não saber onde o seu filho estava morando. Os policiais civis solicitaram que ela apresente o filho, na Delegacia para o Adolescente Infrator (DAI).

Base permanente
O bairro do Engenho Velho da Federação vai ganhar uma base permanente da Polícia Militar. O modelo de policiamento ostensivo, chamado de Base Avançada, será o primeiro implantado em Salvador, mas já é utilizado em outras cidades do estado, onde o tráfico de drogas é mais intenso, como as cidades de Canavieiras, Bom Jesus da Lapa e Coroaci. 

“É uma decisão. Será uma base permanente, nela estarão de 15 a 20 policiais de várias unidades. Não instalamos hoje porque nós estamos com a dificuldade de achar um local para a Base Avançada. O projeto tem se mostrado eficiente em regiões de maior tráfico no interior do estado e vamos experimentar pela primeira vez aqui”, declarou o comandante-geral da PM, coronel Anselmo Brandrão, na manhã desta quarta-feira (15), durante ocupação da PM no Engenho Velho da Federação.

A Base Avançada será instalada na localidade do Forno, conforme desejo do comandante-geral. “Quero a instalação da base no Forno, que hoje é o local mais complicado do Engenho Velho da Federação”, explicou o comandante. O Forno é o reduto da facção Comando da Paz (CP) no bairro. A organização criminosa vem tentando tomar outros espaços controlados pelo grupo rival Bonde do Maluco (BDM). Durante os ataques da CP nos territórios do BDM, num espaço de pouco mais de 15 dias, uma criança de nove anos foi baleada e um jovem foi assassinado numa escadaria após ser cercado por rivais.  
 

O Engenho Velho da Federação é o segundo bairro ocupado pela PM neste ano. O primeiro foi Sussuarana, no dia 30 de junho. Mas, no local, foi montada uma Base Móvel, que poderá ser substituída por uma base permanente.

“Na madrugada já capturamos um traficante suspeito de homicídios e permaneceremos na região, da mesma forma como fizemos em Sussuarana”, declarou o comandante-geral da PM, coronel Anselmo Brandão.

A presença dos policiais aumentou a sensação de segurança dos moradores. “As pessoas não saem de casa, nossa vida não é mais segura. As crianças não estão mais seguras, agora eu acho que a gente consegue um pouco mais de paz”, disse uma senhora que não quis se identificar.

“Isso já era para ter acontecido há mais tempo, mas fazer o quê, né? Antes tarde do que nunca. As coisas vão acalmar agora”, disse outra mulher entrevistada pelo CORREIO.  

Fonte: Correio