ACM Neto propõe para lojistas de shoppings medição diária da temperatura

O prefeito de Salvador, ACM Neto, anunciou em seu Twitter na noite desta sexta-feira (17) uma proposta para que lojistas, funcionários de lojas, trabalhadores e terceirizados, que trabalham nos shoppings sejam testados apenas se apresentarem sintomas e/ou temperatura elevada.

Segundo o prefeito, a medição diária da temperatura dos funcionários seria uma das propostas para a volta das atividades comerciais, prevista para acontecer na próxima semana, quando os leitos de UTI chegarem a 75% de ocupação.

Na rede social, Neto informou que, nesta proposta, os funcionários que apresentassem sintomas e/ou temperatura elevada deverão ser atendidos imediatamente e submetido ao teste RT- PCR, em uma estrutura montada e bancada pelos próprios centros comerciais.

“Essa medida, que dá tranquilidade a todos os frequentadores, é a melhor alternativa para permitir a reabertura dos shoppings, sem a necessidade de testar todos os comerciários. Esperamos e estamos trabalhando muito para que esta retomada aconteça já na semana que vem”, escreveu o prefeito.

Na segunda-feira (13), um comerciante abordou Neto e fez um apelo para a reabertura dos shoppings. Sobre o apelo do comerciante, o prefeito reforçou que a reabertura dos shoppings poderia acontecer com a testagem de 20% dos funcionários dos shoppings, mas que teria a possibilidade de flexibilização com os funcionários das lojas.

Os shoppings de Salvador estão fechados desde 21 de março, quando entrou em vigor um decreto que proíbe o funcionamento de vários estabelecimentos outros estabelecimentos e serviços para conter o avanço da pandemia do coronavírus.

Em conversa com o CORREIO na noite desta sexta-feira, o coordenador regional da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), Edson Piaggio, disse que ainda não houve acordo com a gestão municipal.

Plano de flexibilização
O plano de retomada das atividades de Salvador foi anunciado em coletiva nesta terça-feira (7) com o prefeito ACM Neto e o governador Rui Costa. As equipes municipais e estaduais trabalharam juntas na criação do protocolo. A retomada do comércio e das atividades em Salvador consiste em três fases. Além disso, cada atividade terá restrições próprias. Shoppings, templos e igrejas, comécios de mais de 200 m² e drive-ins serão os liberados nesta primeira etapa, ainda sem data definida, já que depende das taxas de ocupações de leitos (veja abaixo).

Os shoppings devem funcionar de segunda a sábado, das 12h às 20h, presencial e com drive thru. Alimentação terá somente delivery e retirada, ou seja, não vai ter praça de alimentação. Há determinação para a capacidade – as áreas comuns devem ter uma pessoa a cada 9 metros quadrados. Lojas devem ter uma pessoa a cada 5 metros quadrados.

Templos e igrejas terão funcionamento de segunda a sábado, das 10h às 20h. Domingo não haverá restrição de horário. A capacidade deve ser de 20% do espaço ou 50 pessoas – o que for maior. Será preciso usar máscaras e manter afastamentos. Ficam proibidas atividades em escolas, aulas e reuniões, além de espaços para crianças.

Os estabelecimentos de rua com mais de 200m² poderão funcionar de segunda a sexta, das 10h às 16h. A operação poderá ser presencial ou com drive thru. A capacidade deve respeitar o limite de 1 pessoa a cada 9m², o estacionamento com ocupação máxima de 50% a partir de 10 vagas. Os locais devem oferecer atendimento prioritário a pessoas dos grupos de risco, exigir uso de máscara e afastamento das pessoas. Eventos presenciais em lojas ficam proibidos.

Já drive-ins só podem funcionar com autorização prévia da prefeitura. A operação só poderá acontecer dentro de veículos fechados – o serviço de alimentação deve ser dentro destes. Os carros terão distanciamento mínimo de 1,5 entre um outro. A venda de ingressos e pagamento de alimentação será exclusivamente on-line e a empresa que for organizar deve oferecer uma vila virtual para quem quiser usar o banheiro, evitando aglomeração.

Clique para ver o plano completo de reabertura

A primeira fase da reabertura prevê ocupação de menos de 75% dos leitos de UTI exclusivos para a covid-19. A fase 2 começa quando essa taxa chegar a menos que 70% e a 3 quando for menor que 60%. Sempre deve-se manter essa taxa por cinco dias para que a fase tenha início. Atualmente, a taxa de ocupação de UTIs exclusivas para covid-19 está em 79%.

(Foto: Reprodução)

“As decisões são técnicas, acompanham os critérios científicos. Não é a minha vontade como gestor, a vontade do governador. A nós cabe mediar”, explicou Neto durante coletiva no último dia 7. “O foco é assegurar que não haja falta de leito hospitalar para atender a todos os pacientes que precisem”. Educação, futebol profissional, praias e parques públicos, além de desmais espaços do tipo, estão sendo analisados à parte.

O governador destacou também que os leitos são a principal medida. “O parâmetro que nós vamos utilizar, e estamos utilizando para todo estado, é o da capacidade do poder público de ofertar leitos e unidades de saúde”, afirmou Rui. “O que prefeito, governador, podem fazer é garantir unidade de saúde para as pessoas serem atendidas. A partir daí é a ciência, a medicina, Deus, quem vai ajudar. O nosso parâmetro é de leitos hospitalares”, afirmou.

A retomada das atividades deve ser gradual e progressiva, em ciclos de 14 dias, para preservar a capacidade do sistema. Serão observadas orientações da Organização Mundial de Saúde e pelos comitês da Prefeitura e Governo. Qualquer medida de flexibilização será precedida de protocolos, com adaptação de ambientes de trabalho, garantindo precaução no transporte dos trabalhadores. Todos os resultados serão monitorados para permitir reação rápida, se necessária.

Fonte: Correio