Edição de Fim de Semana do CORREIO esgota nas bancas em três horas

Edição esgotada nos pontos de venda às 10h da manhã, assim como as 10 mil máscaras reutilizáveis distribuídas gratuitamente com o jornal para reforçar a proteção contra o novo coronavírus. O balanço positivo da ação do CORREIO neste sábado (18) além de levar informação, ajudou também na prevenção contra a doença, como afirma a gerente de mercado-leitor do CORREIO, Mara Salmeron:

“Esgotamos a edição em três horas. É muito gratificante pensar numa ação, escolher o parceiro certo, colocar em prática e ter um resultado tão positivo como o que tivemos nesse fim de semana. Muitos pontos ligaram para a equipe de promotores pedindo mais exemplares. Isso é sinal que agradamos o nosso leitor que além de bem informado foi presenteado com algo muito útil nesse momento”.

Em um momento onde o uso de máscara de proteção é de uso obrigatório para conter a contaminação, a iniciativa do Convênio Farmácia Drogaria São Paulo em parceria com o jornal disponibilizou as máscaras de tecido,  confeccionadas em duas camadas. O preço da edição não sofreu alteração: permaneceu R$ 1,75.

Na Banca Marback, na Boca do Rio, às 9h, não tinha mais nenhuma edição. Teve até lista de reserva com 30 pessoas que pediram para garantir o CORREIO antes mesmo do início das vendas.

“Desde que as pessoas começaram a ver o comercial na televisão, teve gente que chegou aqui pedindo para reservar, por isso montamos esta lista. Eu achei uma ação muito legal porque a máscara é uma coisa que as pessoas estão usando muito. Esgotamos a venda logo cedo, mas mesmo assim, ainda teve quem procurasse o jornal até o início da noite”, conta a proprietária da banca, Josefa Félix.

Quem também esgotou logo de imediato as edições foi o revendedor Gabriel Barreto, da Banca Redenção, no bairro de Brotas. “A procura foi grande. Pena que não peguei mais. Seria muito bom se o CORREIO repetisse essa promoção, com certeza teríamos muita saída. Eu gostei, todo mundo gostou. Foi uma ideia muito boa”.

Jaqueliana Romando, da Banca Tamarineiro, na Cidade Baixa, vendeu 100 exemplares em tempo recorde. “Meia-hora depois de abrirmos a banca já não tinha mais jornal. Era uma venda atrás da outra. Se teve alguém quem reclamou foi quem não conseguiu comprar”, diz.

Uma das leitoras do CORREIO, a publicitária Andrea Zubowsky, passou por vários pontos de venda e não encontrou mais o jornal nem mesmo no supermercado. “Achei muito bacana, porque as máscaras de tecido estão custando R$ 5 reais, com o jornal sai bem mais barato. Mais eu queria muito ter encontrado”.

Informação
O jornal chega até aos pontos de venda do estado às 6h30. Com o objetivo de proporcionar uma maior segurança ao leitor, a edição do jornal foi vendida dentro de um saco que mantém a proteção do produto, além de outra embalagem para a máscara.

Na edição deste Final de Semana, o leitor pode conferir uma matéria especial sobre como Feira de Santana se transformou em “polo irradiador” do coronavírus na Bahia, na avaliação do comitê científico do Consórcio Nordeste.

Na mesma edição, o CORREIO traz também quatro passos para ‘dar o grau’ na cabeleira e cortar o cabelo em casa e um guia completo do retorno da dupla ba-vi aos gramados na quarta-feira. O conteúdo completo pode ser lido aqui no site e também no aplicativo. 

Fonte: Correio