Casa nova na periferia em até 12 vezes no cartão de crédito

Uma mudança ali na sala, aquela reforma na cozinha ou a adaptação de um cômodo da casa que está precisando de uma repaginada. Mas aqui a gente vai chamar de “puxadinho” mesmo, porque os serviços de arquitetura não são mais só coisa de gente rica. Depois que duas mulheres do subúrbio, moradoras do bairro de Plataforma, entenderam que a periferia também precisava ter acesso a uma consultoria especializada para melhorar o cantinho onde mora, dá até pagar o valor da reforma em 12 vezes no cartão.

Formadas pela Faculdade Unime,  a arquiteta Karine Lima e a auxiliar técnica, Ingrid Nazaré, conseguiram aumentar em um mês o faturamento do Projeto Habittar em 166,6%, chegando a R$ 8 mil, além de dobrar o número de clientes com serviços previstos até o mês que vem. O valor é oito vezes maior que o investimento gasto, lá no início do ano, com o pagamento de taxas necessárias para a abertura do negócio.

“Por termos nascido na periferia nós conhecemos a fundo a rotina e os hábitos da população de classe baixa e sabemos exatamente qual a relação da comunidade com o ato de morar e quais as dificuldades que  encontram nesse processo. Isso nos despertou a oferecer um serviço que atendesse às necessidades das classes C e D”, conta a sócia e arquiteta, Karine Lima.

Enquanto moradoras do subúrbio, incomodava muito o fato do serviço de arquitetura ser uma realidade distante dos moradores de lá, como completa, a outra sócia e assistente técnica, Ingrid Nazaré. “São muitas casas insalubres, com problemas de infiltração, umidade, patologias sérias nas estruturas. Nós tentamos mostrar de forma eficiente e barata como a casa deles pode ser mais iluminada, arejada e bonita”.

As festas de fim de ano ainda nem chegaram, muito menos o décimo terceiro caiu na conta para deixar a casa toda bonita, mas as reformas estão com tudo. Karine afirma que a aposta nos clientes com renda entre 1 e 5 salários mínimos direcionou o projeto a ofertar serviços de arquitetura social, que ficam cerca de 50% a 70% mais baratos comparado com os escritórios que trabalham com público de alta renda. 

Dá para ter um cantinho igual aquelas que aparecem nesses programas de televisão com serviços de consultoria de reforma e decoração, que variam de R$ 300 para cozinhas a R$ 250 para demais cômodos (espaços com até 15m² cada). No pacote, está incluso o projeto 3D com a decoração e os detalhes técnicos necessários a execução.

O antes e o depois de um dos projetos da Habittar, no bairro de Plataforma
(Foto: Divulgação)

“Os escritórios que atendem às classes A e B geralmente seguem uma tabela de honorários estabelecida pelo CAU (Conselho de Arquitetura e Urbanismo). Sendo assim os valores variam de caso a caso. A estimativa hoje é que um projeto de construção de uma residência de alto padrão pode custar, em média, cerca de R$ 25 mil a R$ 30 mil, por isso a realidade parece tão distante da periferia”, destaca Karine.

Demanda 
Segundo as sócias, a maior demanda atualmente é de reformas dos cômodos, principalmente, nos bairros de Paripe e Periperi. “Os motivos mais recorrentes são o desejo de melhorar as condições do imóvel em relação à ventilação, iluminação e estética. Também temos uma demanda grande de reforma em cozinhas, salas e quartos, justamente os locais que mais utilizamos na casa, sobretudo, nesse momento de isolamento social. Estamos chegando ao início do mês com a agenda lotada e já com previsão de outros novos clientes para o mês de agosto”, acrescenta a arquiteta.

De obra em obra, o que mais chama atenção é a precariedade na parte estrutural em muitas das residências, principalmente em imóveis que estavam com a estrutura comprometida.

“Já tivemos várias situações em que o cliente contratou o serviço de reforma e decoração, mas ao analisar o local, percebemos uma grande necessidade de se fazer uma reforço na estrutura do imóvel. Se isso não fosse corrigido, o problema poderia trazer sérias consequências, inclusive, o risco de desabamento”, lembra Ingrid.

O negócio tem seis meses em atividade e precisou construir uma base sólida, tijolo por tijolo até bater a laje. “Nós começamos realmente do zero e fomos adquirindo receita por meio dos serviços que começamos a prestar. Fizemos um bom estudo sobre o quadro econômico e a comunidade que queríamos atender. Tudo isso contou para a elaboração de um plano viável e realista com muita atenção ao planejamento financeiro”, explica Karine.

A pandemia veio e, com isso, elas organizaram melhor o negócio e investiram no marketing digital, como complementa Ingrid. “Montamos uma estratégia eficiente, o que tem sido uma ótima aliada neste período, ajudando no aumento a visibilidade da Habittar”, conta Ingrid.

De vizinho em vizinho, o boca-boca também ajuda. “Com certeza, o boca-boca, sobretudo, nas comunidades, ainda é uma boa ferramenta de marketing. Isso é um reflexo da prestação de serviços feita com dedicação. E sim, é possível e muito viável fazer ambientes incríveis, gastando pouco”, reforça.

Ainda que tenha sido necessário adaptar alguns serviços e adotar medidas de segurança com o uso de todos os EPIs necessários nas visitas presenciais, as obras não param.

“Nós estamos conseguindo mudar a visão de que conforto e beleza está diretamente ligado a luxo e sofisticação. Com soluções simples, também se consegue elaborar ambientes lindos e aconchegantes. Não há sensação melhor que fazer o que ama e ainda saber que está contribuindo para a equidade social, por meio da arquitetura”, complementa Karine. O contato da Habittar é 71 9 9116-9429 (Whatsapp). 

PARA REPAGINAR A CASA GASTANDO POUCO 

Ambiente  Lixe e pinte as paredes com cores mais claras para melhorar a iluminação interna

Reforme seus móveis  A economia vai ser bem significativa. Recicle também objetos e dê um uso mais eficiente para eles, como, por exemplo, o uso de caixas de verdura, que podem virar nichos, garrafas de vidro que dá para transformar em luminárias e pallets que servem para fazer mobiliário

Limites Defina um valor máximo que pode gastar para fazer estas mudanças

Casa verde Use plantas na decoração, pois elas trazem alegria para os ambientes

Pratique o ‘faça você mesmo’  Dá para pesquisar muito tutorial e dicas de decoração que estão disponíveis na internet
 

Fonte: Correio