Condenado, 'Japonês da Federal' perde cargo e terá que pagar multa de R$ 200 mil

O ex-policial federal Newton Ishii foi condenado pela Justiça por facilitar contrabando na fronteira Brasil-Paraguai, em Foz do Iguaçu (PR), e terá que pagar multa de R$ 200 mil, além de perder o cargo. A informação sobre a sentença foi revelada pelo portal Uol.

Ishii ficou conhecido como “Japonês da Federal” depois de participar de buscas e apreensões da Operação Lava Jato e ter escoltado nomes como o empresário Marcelo Odebrecht e o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto. 

Em 2003, a Operação Sucuri deflagrada pela PF identificou 28 pessoas envolvidas em facilitação de contrabando na fronteira. Destas, 24 foram condenadas.

O juiz Sérgio Luiz Ruivo Marques, da 1ª Vara da Justiça de Foz do Iguaçu, considerou a conduta de Newton Ishii como de “extrema gravidade” porque ele teria afrontado a dignidade da função pública exercida.

“(Ele se) escondeu por trás do aparato institucional voltado ao combate do crime na fronteira, para facilitar o contrabando/descaminho, o que impede que o agente, após tal fato, prossiga atuando como agente policial”, escreveu o juiz na decisão.

Newton Ishii está aposentado desde 2018. Com a decisão, ele pode ter a aposentadoria cassada.

Segundo o Uol, ele já havia sido condenado em 2009 por corrupção e descaminho por supostamente facilitar a entrada de produtos contrabandeados do Paraguai no Brasil. Ishii recorreu da condenação ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Fonte: Agencia Brasil