Vereadores de Saubara acusam filho de prefeita de desviar combustível

Foto: Divulgação 

Imagens de câmeras e relatos de testemunhas são as provas que os vereadores da cidade de Saubara, na região do Recôncavo, têm para acusar o filho da prefeita da cidade de desvio de combustível. O dossiê coloca o coordenador da 1ª Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran/ Santo Amaro) Márcio Araújo no suposto esquema já denunciando ao Ministério Público da Bahia (MP-BA). 

Márcio é filho da prefeita de Saubara Márcia Mendes de Oliveira Araújo (Avante). Nas imagens cedidas ao CORREIO é possível ver Márcio enchendo vasilhames na carroceria da picape Toyota Hilux de cabine dupla, placa PLB-4826, que seria prefeita, acusada de nepotismo. Segundos os vereadores da cidade, além do ex-prefeito e marido de Márcia, Antônio Raimundo de Araújo, o Bolinha, ocupam cargos públicos em Saubara a filha do casal, sobrinhos e primos. 

A venda e transporte de combustíveis em garrafas pet e sacos plásticos é proibida em postos de todo o país. A resolução da Agência Nacional do Petróleo (ANP) nº. 41/13 está em vigor desde o mês de novembro de 2013. Segundo as regras da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), o combustível automotivo deve ser comercializado em vasilhames que tenham sido fabricados para este fim e devidamente certificados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). A multa varia de R$ 20 mil a R$ 1 milhão. Se o infrator é servidor ou desempenha atividade pública a pena por ser maior. 

O CORREIO vem tentando falar com Márcia e com Antônio Raimundo, mas sem sucesso. Já o MP-BA informou que dará um posicionamento sobre as acusações nesta segunda-feira (20).

Márcio Araújo é o coordenador da 1ª Ciretran/Santo Amaro e é acusado de desviar combutível (Foto: Divulgação)

De acordo com vereadores de Saubara, o esquema foi descoberto há cerca de seis meses, após denúncias de moradores de Santo Amaro, que estranharam a frequência e o modo da retirada de combustível do Posto São Luís, na Avenida Sinibu. O posto é conveniado para abastecer a frota da prefeitura de Saubara desde 2017, como foi iniciada a gestão de Márcia. 

Os veículos precisam percorrer pouco mais 26 km, quando, na verdade, poderiam abastecer na própria cidade, onde há um posto de combustível na BA 878 km 17, ou na cidade de Acupe, a 8,5 km de distância. Isso porque, o posto São Luís já foi alvo de investigação na operação Adsumus, deflagrada em 2016 pelo Ministério Público do Estado (MPE) para investigar desvios e fraudes em licitações e contratos da prefeitura de Santo Amaro. 

Na ocasião, o ex-prefeito de Santo Amaro Ricardo Machado (PT) era procurado pela polícia, acusado de liderar esquema de corrupção que desviou cerca de 20 milhões da prefeitura da cidade de 2012 a 2016, numa rede de crimes que se estendeu para outros municípios do Recôncavo, a exemplo de Muritiba.

Simões Filho
“Queremos saber onde está indo o combustível? A prefeitura de Saubara só abastece lá. O dono do posto de Santo Amaro já foi investigado por fraude Adsumus. É muito combustível. O filho da prefeita de Saubara desvia uma média de 400 litros por semana em duas viagens. São mais R$ 1 mil por semana. Quem está pagando por isso, tendo em vista o posto já investigado por irregularidades?”, declarou o vereador Lucas Abdala do Partido Socialista Brasileiro (PSB). 

Os combustíveis eram transportados para a cidade de Simões Filho (Foto: Divulgação)

Segundo o vereador Dinaldo Oliveira, também do PSB, a picape que aparece sendo usada para transportar os galões cheios de combustível é da prefeita de Saubara, Márcia. “Esse carro todo mundo conhece na cidade. Seis meses depois de ela tomar posse, comprou o carro à vista. Pesquisamos também e o carro está no nome dela”, declarou.  

No mês de janeiro, os vereadores de Saubara receberam as denúncias de moradores de Santo Amaro. Então, decidiram investigar o caso por conta própria contratando um detetive particular para fazer as imagens. Além de registrar Márcio enchendo os galões na picape, o detetive seguiu o veículo mais de uma vez para a cidade de Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS).  

Ainda segundo os vereadores, em uma das imagens, é possível ver Márcio remanejando os galões da carroceria da picape para uma casa, cujo proprietário ainda não foi identificado. Curiosamente, segundo os vereadores, um irmão da prefeita possuí uma van que faz transporte de trabalhadores de Simões Filho para o Polo Petroquímico de Camaçari. “Foi o que ficamos sabendo. Márcio tem um tio na cidade que tem um contrato com uma empresa do Polo para faze transporte de funcionários”, contou Dinaldo. 

Nepotismo
Os vereadores disseram ainda que Prefeitura de Saubara há nepotismo – quando um agente público usa de sua posição de poder para nomear, contratar ou favorecer um ou mais parentes. O caso foi denunciado ao Ministério Público da Bahia em 2018. “E nada foi feito até agora”, disse o  vereador Lucas Abdala.

Abdala citou como exemplo o ex-prefeito e marido de Márcia, Antônio Raimundo de Araújo, o Bolinha, que hoje ocupa o cargo de secretário de Administração, recebendo um salário de R$ 3.800.  A filha do casal, que era assistente social da prefeitura, Marciene Oliveira de Araújo, é atualmente é a secretária de Educação, com um salário R$ 3.800. “O curioso é que ela foi nomeada logo após governo federal liberar o precatório do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação) de R$ 18 milhões no passado”, declarou Lucas.

A secretária de Saúde é Marilda Araújo de Jesus, que recebe todo o mês R$ 3.800. Ela é filha do irmão do marido da prefeita. “São muitos cargos que foram dados a muitos parentes como primos, sobrinhos e por aí vai”, comenta o verador.

 

Fonte: Correio