Dançou? Integrantes deixam FitDance e falam sobre cachês baixos e desorganização

(Foto: Divulgação/FitDance)

A empresa baiana FitDance, maior comunidade digital de dança do mundo, parece não estar em seu melhor momento. Apenas nesta terça-feira (21), três integrantes do canal de dança anunciaram a saída do grupo. Diogo Pretto, Junior Gomes e Isis Oliveira desabafaram nas redes sociais, expondo cachês e situações desagradáveis dos bastidores. Os relatos dos dançarinos estão dando o que falar na web nesta quarta-feira (22) e diversas personalidades que já trabalharam na empresa resolveram se pronunciar, como é o caso de Lorena Improta.

O coreógrafo, professor e ex-BBB Diogo Pretto fez um longo desabafo. Ele criticou o empresário Fábio Duarte, conhecido como Big Boss, e expôs os bastidores da empresa de dança.”O ciclo está se encerrando porque eu quero encerrar. Ninguém aguenta mais, a gente fez essa po***. Cresceu juntos. Sabe o que eu acho mais engraçado, é que quando a gente não era nada, era tudo igual, quando cresceu, tudo mudou. A gente não era mais o ator principal, ou a atriz principal”, começou Diego em vídeo postado no Instagram (assista mais abaixo).

No vídeo, ele disse que o contrato com o grupo encerra no dia 1º de agosto, mas deixou claro que não gravará mais para o canal. Diogo era integrante do grupo desde sua formação, além de ser amigo pessoal de Fábio Duarte.

Pretto criticou o amigo, Fábio Duarte
(Foto: Divulgação)

“Cansei de ver as coisas acontecendo e ficar calado. (…) Eu só quero sair e ficar livre, que me deixem em paz, mas o que estão fazendo não é certo. Eu vejo que a gente é descartável”, desabafou.

“Quando se passa de amor pra dinheiro as coias mudam, para ego, para fama, não adianta querer ser famoso a todo custo. Querer aparecer. Não adianta, não vai conseguir. Nós precisamos uns dos outros. A gente é descartável, a gente fez de tudo para que isso tudo crescesse junto. Se quiser me processar, fique a vontade meu irmão”, continuou.

Ainda segundo Diogo, a empresa controlava os contratos externos dos integrantes. “Eu brigava muito com ele [nosso agente, Lucas] você não me vende para isso, não me vende para aquilo. Quase todos os trabalhos, presenças vips que eu fiz, eu consegui. Eu não nasci ontem, estou nesse meio depois do BBB já tem 10 anos. Eu quebrava o pau com Lucas, coitado, pensava que era ele, e não é”, disse, explicando que a ordem era superior.

Após várias repercussões com o depoimento de Diogo, a FitDance publicou um texto agredecendo Pretto e ele respondeu: “Hoooooo, que msg linda, singela, verdadeira ne? Chorei #mepoupe”. Confira a mensagem publicada pela FitDance:

“Como muitos já sabem, o período de contrato com alguns integrantes de nossa equipe está chegando ao fim.
Neste momento, gostaríamos de reforçar o reconhecimento da colaboração que @diogopretto_ sempre teve em sua jornada com a FitDance.

Agradecemos muito todo seu empenho e garra até aqui. Apesar de qualquer discordância neste caminho, Diogo sempre foi uma pessoa talentosa, não só na dança, mas também em diversas habilidades artísticas. Um espetacular apresentador e um verdadeiro showman nos nossos eventos.

Através de todo o empenho e investimento que a FitDance fez nos últimos anos, através de suas centenas de colaboradores, as oportunidades para o mundo da dança são cada vez maiores. Desta forma, temos certeza que todos os dançarinos e instrutores terão ainda mais oportunidades em seus caminhos.

Diogo, saiba que todos os diretores, colaboradores e a comunidade FitDance torcem por você e serão eternamente gratos. Desejamos, mais uma vez, que fiquem todos bem!”

Lorena Improta
Essa não é a primeira vez que o grupo lida com o desligamento de integrantes. A dançarina, cantora e apresentadora Lorena Improta, que ficou famosa no grupo, deixou a FitDance em 2016. Desde então, outros nomes conhecidos deixaram o canal, como Juliana Paiva, Pamela Sampaio, Dam Fernandes, Celso Calazans e, recentemente, Isis, Junior Gomes e Diogo Pretto.

Na manhã desta quarta-feira (22), Improta comentou, através de seus Stories: “Só passando para falar para vcs nunca desacreditarem da justiça de Deus. O mundo dá muitas voltas, gente”.

(Foto: Reprodução/Instagram)

Quando saiu da FitDance, Lore Improta chegou a ser taxada de ingrata. Mas, segundo o jornalista Leo Dias, do portal Metrópoles, a bailarina não deixou o grupo por livre e espontânea vontade ou ingratidão, e sim porque fora retirada da empresa. Segundo Dias, o sucesso da dançarina teria causado ciúmes entre os detentores da marca.

Juliana Paiva, que também saiu do grupo recentemente, repostou a suposta indireta de Lore com a legenda: “É isso”. Mais tarde, ela também publicou Stories comentando a saída da FitDance. A dançarina Pam Sampaio também publicou uma mensagem.

(Foto: Reprodução)

Logo em seguida, a maquiadora Lua Andrade, do perfil @viajecomlua, que também já trabalhou na empresa, também falou sobre o assunto em seu Instagram Stories. Segundo ela, todo mundo entra no FitDance com exclusividade, não podendo fechar publicidade por fora nem ter um assessor próprio. Isso fazia com que os artistas acabassem perdendo boas oportunidades de trabalho. Ela também falou sobre o cachê dos integrantes, que ganham cerca de R$ 50 a R$ 100 por video e R$ 150 por show.

Uma das ex-integrantes da FitDance conversou com a reportagem há pouco e não quis se identificar. “Tou cansada desse povo que não sabe [das coisas] falar que somos ingratos. Quando entramos e assinamos o contrato, não tem escrito ali o que viveríamos não. Assinamos um contrato contratando a FitDance como nossos empresários. Imaginávamos que iríamos ter todo apoio como artistas, iríamos fechar contratos grandes”, afirmou. 

De acordo com ela, os dançarinos foram proibidos de ter TikTok e IGTV. “Tínhamos que ser exclusivos, mas nunca pagaram por exclusividade”.

Ela comentou ainda sobre os cachês baixos. “Já escutamos em uma reunião que se dependesse deles não receberíamos por gravar. Antes não recebíamos para tirar fotos do FitDance Style (marca de roupas da FitDance). Até que reividicamos e conseguimos R$ 150. Mas não podíamos usar outra marca, fazer ensaio ou recebidos. Não sabíamos que seria assim não. E tem multa por quebra de contrato. Tem o medo de ficar sem trabalhar, entre outras coisas”, pontuou.

Primeiros a saír
A dançarina Isis Oliveira foi a primeira a anunciar sua saída na terça-feira (21). Isis publicou um vídeo de dança do canal e anunciou o encerramento agradecendo pela parceria na legenda. A baiana integrava o grupo desde fevereiro de 2018.

“Oi amores da minha vidinha! Hoje, me despeço da FitDance. Finalizou meu ciclo e queria agradecer a todo aprendizado, amigos, experiências e visibilidade que conquistei ao lado deles. (…) Tenho que agradecer a essa comunidade incrível! instrutores, mestres e a galera do backstage que faz tudo acontecer. Vem novidade aí! E agora com oportunidades pra vocês que querem também realizar sonhos de fazer parte do time da FitDance”, disse a modelo.

Já o coreógrafo Junior Gomes também anunciou no mesmo dia sua saída do grupo. Assim como Isis, Junior publicou um vídeo do FitDance em seu perfil do Instagram e escreveu na legenda sua despedida, sem entrar em muitos detalhes. “Fala galera, quero avisar que não faço mais parte da Equipe Show FitDance. Quero agradecer a todas as pessoas que trabalham na empresa e todos os instrutores pelo aprendizado e visibilidade que construímos JUNTOS até aqui, mas agora é hora de seguir outros caminhos e fiquem ligados que vem coisas boas por aí, é como eu sempre digo, cole comigo que vocês passam de ano”, disse o coreógrafo.

Até então, a FitDance e o empresário Fábio Duarte ainda não se posicionaram sobre as críticas. Confira todas as publicações citadas abaixo.

Antes Diogo e Lua, outros dançarinos já se queixavam dos contratos com cláusulas abusivas e proibições. Dam Fernandes, que é casado com Ju Paiva e deixou o grupo em 2019, por exemplo, foi processado pela empresa. A FitDance entrou com uma Ação de Cobrança contra ele pelo rompimento do contrato antes do tempo, pedindo o pagamento das verbas contratuais e multa rescisória e obrigação de não fazer, que pede para que o artista não realize nenhum trabalho ligado a dança ou aos que ele fazia na empresa.

Segundo a empresa, o ex-funcionário estava descumprindo de forma contínua a cláusula de exclusividade e a obrigação de não fazer desde que rescindiu o contrato. A multa diária exigida pela empresa era de R$ 10 mil, caso Dam realizasse algum projeto dentro de 24 meses. A empresa entrou com pedido de tutela de urgência e teve a solicitação negada em primeira instância. Isso porque a Justiça baiana entendeu que “o contrato firmado pelas partes não pode proibir o réu exercer a atividade artística da qual depende para sobreviver”.

A FitDance chegou a recorrer e no dia 9 de julho teve o pedido novamente negado pela desembargadora Lisbete Maria Teixeira Almeida Cézar Santos, da 4ª Vara Cível e Comercial.

Fonte: Correio