Vitória perde de 1×0 para o Ceará e é eliminado da Copa do Nordeste

Não deu para o Vitória. O Leão foi eliminado na Copa do Nordeste pelo Ceará, neste sábado (25), por 1×0, em Pituaçu. Vinícius, ex-Bahia, foi o autor do gol que colocou o Vozão na semifinal do torneio regional. O time, aliás, teve Luiz Otávio expulso aos 15 minutos do segundo tempo, após derrubar Jordy Caicedo na entrada da área. Aos 44, foi a vez do rubro-negro levar um cartão vermelho, para Gerson Magrão.

O Ceará já trazia péssima memória ao torcedor do Vitória. Em 2013, 2014 e 2015, o alvinegro foi responsável por tirar o Leão no Nordestão – sendo as duas primeiras, justamente, em fase de quartas de final. Em 2020, os times tinham se enfrentado em outro mata-mata, pela Copa do Brasil, com o rival ganhando do rubro-negro, em casa, por 1×0. A partida de volta, porém, foi suspensa por causa da pandemia do novo coronavírus e ainda não remarcada.

Na semifinal da competição, o Ceará enfrentará o rival Fortaleza, que eliminou o Sport nos pênaltis por 4×1 após empate em 0x0 nos 90 minutos. O jogo será na próxima terça-feira, em estádio ainda a ser confirmado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).  

Primeiro tempo
O primeiro tempo começou com o Ceará melhor. Enquanto o Vitória ainda tentava se encontrar, o Vozão chegava com pressão. Mais avançado, teve duas boas chances com bolas cruzadas. 

No meio da etapa, porém, o Leão equilibrou o duelo. E conseguiu, inclusive, uma ótima oportunidade: aos 17 minutos, Alisson Farias avançou e tocou para Carleto, que mandou uma bomba ao gol, desviada pela zaga. O camisa 10 ainda assustou no minuto seguinte, em lance defendido por Fernando Prass. Focado na posse de bola, o rubro-negro seguiu tomando conta do meio de campo. Faltava, porém, melhor controle e mais criação de jogadas.

Aos 43 minutos, o cenário mudou. Na tentativa de finalização de Vinícius, a bola foi na mão de Carleto, dentro da área. O juíz viu e assinalou o pênalti. O próprio camisa 29 que cobrou a penalidade, batendo forte no travessão. A redonda rebateu e entrou, sem chance para o goleiro Ronaldo. Na comemoração, o jogador do Ceará fez a famosa dancinha na época em que atuava no Bahia. 

Segundo tempo
O Vitória quase chegou ao empate no começo da etapa. Aos 4 minutos, Carleto recebeu passe, cruzou na área e Fernando Neto cabeceou, mas foi para fora. Aos 16, Caicedo avançou em velocidade e sofreu falta de Luiz Otávio na entrada da área. O jogador do Ceará foi expulso e o Leão ganhou falta perigosíssima. Carleto mandou uma bomba e obrigou Prass a fazer uma bela defesa, espalmando para o lado.

O jogo teve uma pequena paralisação aos 30 minutos – por algo fora de campo. Presidente do Vitória, Paulo Carneiro foi flagrado na arquibancada de Pituaçu com a máscara de proteção no pescoço. O dirigente foi alertado e, após colocar o equipamento no rosto, da forma indicada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a partida foi retomada.

Mesmo com um jogador a mais, o Vitória não conseguiu o empate. Aos 45 minutos, viu Gerson Magrão também ser expulso, por fazer falta em Jacaré e depois pisar no jogador rival. Ainda assim, teve bom lance pouco depois, com bomba de Mateusinho de fora da área, mas Prass espalmou.

FICHA TÉCNICA

Ceará 1×0 Vitória – Quartas de final da Copa do Nordeste 2020

Ceará: Fernando Prass, Eduardo, Tiago Pagnussat, Luiz Otávio e Bruno Pacheco; Charles, Ricardinho (Klaus), Vinícius (Marthã) e Fernando Sobral; Rick (Victor Jacaré) e Rafael Sóbis (Cléber); Técnico: Guto Ferreira.

Vitória: Ronaldo, Van, João Victor, Maurício Ramos (Jean) e Thiago Carleto; Guilherme Rend (Júnior Viçosa), Rodrigo Andrade (Gerson Magrão) e Fernando Neto; Felipe Garcia (Ruan Levine), Jordy Caicedo e Alisson Farias (Matheusinho). Técnico: Bruno Pivetti.

Gol: Vinícius, aos 45 minutos do primeiro tempo.

Local: Estádio Pituaçu, Salvador;
Cartões amarelos: Fernando Sobral, do Ceará; Guilherme Rend, Felipe Garcia e Jean, do Vitória;
Cartões vermelho: Luiz Otávio, do Ceará; Gerson Magrão, do Vitória;
Arbitragem: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza, auxiliado por Oberto da Silva Santos e Kildenn Tadeu Morais de Lucena (trio da Paraíba);

Fonte: Correio